Restaurantes, bares e salões reabrem nesta segunda na capital paulista

Por André Vieira - Metro Jornal

A capital vai entrar a partir desta segunda-feira (6) em uma das fases mais esperadas da flexibilização nesses 108 dias de quarentena provocada pela pandemia do novo coronavírus. Impossibilitados de receber clientes desde o dia 20 de março, bares, restaurantes e salões de beleza já podem reabrir para o público, parcialmente e com restrições.

Os estabelecimentos devem limitar a capacidade de atendimento, trabalhar em horário reduzido e respeitar o distanciamento social. O uso da máscara é obrigatório em todos os ambientes.

Neste primeiro momento, não haverá happy hour, já que bares e restaurantes devem fechar até 17h. As praças de alimentação dos shoppings também podem reabrir e funcionar no mesmo horário do centro de compras.

Além disso, a partir desta segunda, os escritórios, comércios e shoppings ganham mais duas horas e passam a ter de expediente de seis horas. Na capital, as lojas de rua podem abrir das 10h às 16h e os shoppings podem escolher funcionar entre 6h e 12h ou entre 16h e 22h.

Amarelo é a cor da cautela

As novas regras também valem para outras duas sub-regiões da Grande São Paulo: a do ABC e a sudoeste, onde está Taboão da Serra. A capital e essas duas áreas já haviam entrado na última segunda-feira na fase 3-amarela da quarentena, que autoriza o funcionamento desses serviços, mas concordaram em esperar uma semana de manutenção para liberar as novas atividades.

As três regiões, que na visão do governo são as que hoje melhor conseguem controlar o avanço da pandemia, são as únicas no estado na fase  3-amarela do Plano São Paulo. O programa de reabertura gradual da economia classifica o nível de restrição das regiões a partir de indicadores do novo coronavírus, como a variação do número de casos e de óbitos e a oferta de leitos na rede de saúde.

Apesar do avanço, a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, pediu cautela e reforçou que aglomerações continuam proibidas. “Todos estamos ansiosos para sair de casa, para celebrar com amigos, mas não estamos no momento de celebração. Estamos no momento de entender e respeitar os protocolos. Se isso não acontecer, podemos retroceder, como já ocorreu em regiões que não cumpriram as regras.”

“Atingimos um platô [a estabilidade na curva de casos] e é o momento de reabrir a atividade econômica”, afirmou o prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB)

Academias ainda não

O governo do estado resolveu antecipar a reabertura das academias, prevista só na fase 4-verde, e permitiu que funcionem nas cidades que estão na fase 3-amarela. Na capital, porém, Covas disse que a reabertura depende de protocolos que ainda serão definidos com o setor. Não há prazo.

Loading...
Revisa el siguiente artículo