Volume do Cantareira pode passar dos 14% com nova reserva técnica

Por fabiosaraiva
Seca na represa Atibainha, em Nazaré Paulista | Renato César Pereira/Futura Press Seca na represa Atibainha, em Nazaré Paulista | Renato César Pereira/Futura Press

O volume do sistema Cantareira vai subir 10,7 pontos percentuais com a captação da segunda cota do volume morto, segundo a Sabesp. Se a medida fosse tomada nesta segunda, por exemplo, o índice passaria de 3,6% para 14,3%. A companhia afirma que os 106 bilhões de litros de água da reserva técnica só serão usados caso seja necessário. O governo espera que o problema seja amenizado com a volta das chuvas.

O uso da segunda cota foi autorizado pela ANA (Agência Nacional das Águas) na sexta-feira. Um dia antes, a Justiça Federal derrubou uma liminar que proibia a captação. A condição proposta pela agência é a de que a retirada do volume seja feita em parcelas, para que o abastecimento para população seja garantido até 30 de abril de 2015.

O Cantareira fornece água para 6,5 milhões de moradores na Grande São Paulo. A autorização foi dada mesmo com denúncia, da própria ANA, de que a Sabesp fez uma captação ilegal da segunda cota na represa de Atibainha. O governo nega.

A primeira parte do volume morto começou a ser utilizada em 15 de maio. À época, o volume passou de 8,2% para 26,7%. Do total de  182,5 bilhões de litros, 160,4 bilhões já foram usados.

Análise da ANA, com dados da Sabesp, indica que há possibilidade da primeira cota acabar antes de 15 de novembro, caso não chova. O governador Geraldo Alckmin afirma que a água não vai acabar.

Corregedoria da Câmara deve ouvir Matarazzo

O vereador Andrea Matarazzo (PSDB) deve ser ouvido pela Corregedoria da Câmara Municipal por conta das declarações feitas durante sessão da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Sabesp no dia 8.

Vídeo mostra uma conversa de Matarazzo com a presidente da companhia, Dilma Pena. Sem perceber que o microfone estava ligado, o vereador afirmou que a comissão não teria consequências. Ele disse que os vereadores Nabil Bonduki (PT) e Tripoli (PV) fariam “teatro”. O tucano afirmou, ainda, que o vereador José Police Neto (PSD), ex-PSDB, é “vagabundo”.

Em nota,  Matarazzo disse que houve “vazamento de conversa privada, truncada”, entre ele e a presidente da Sabesp.

 

Seca causa falta de água em Franca e Ribeirão Preto

Moradores de 85 bairros de Franca (a 400 km de São Paulo) ficaram sem água neste domingo. Este foi o sexto dia consecutivo de desabastecimento no município, que enfrenta uma das suas piores crises hídricas dos últimos anos.

Segundo a Sabesp, o motivo são as altas temperaturas e a estiagem que continua causando a queda da vazão no rio Canoas e no córrego Pouso Alegre, principais mananciais que abastecem o município.

A estiagem também prejudica os moradores de Ribeirão Preto, que tiveram o abastecimento interrompido em quatro bairros durante o final de semana. Por causa do forte calor, a demanda de água aumentou em 30%, segundo o Daerp (Departamento de Água e Esgotos de Ribeirão Preto).

 

Paulistanos se refrescam na piscina do Sesc Belenzinho, na zona leste, na tarde de ontem |  Gero/Fotoarena/Folhapress Paulistanos se refrescam na piscina do Sesc Belenzinho, na zona leste, na tarde deste domingo | Gero/Fotoarena/Folhapress

Em três horas, temperatura cai 14,3oC no domingo

Após uma semana de recordes de calor, com máximas acima dos 34oC, uma frente fria conseguiu romper neste domingo o bloqueio atmosférico que atuava no Estado.

A temperatura caiu 14,3oC em um intervalo de apenas três horas na capital, segundo o meteorologista Marcelo Schneider, do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Os termômetros passaram de 35,8oC, às 16h, para 21,5oC, às 19h.

A frente fria também trouxe chuva ao Estado, começando pelas cidades de Ibiúna, Itapetininga, Porangaba e Tatuí. O CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências) registrou ventos de até 59,3 km/h, no aeroporto de Guarulhos, e de 46 km/h, em M’Boi Mirim.

A capital estava há 21 dias sem precipitações significativas, de acordo com o Inmet. Na sexta-feira, São Paulo teve o dia mais quente da história, com máxima de 37,8ºC.

No fim da tarde, tempo virou e as nuvens ficaram carregadas | Paulo Lopes/Futura Press No fim da tarde deste domingo, o tempo virou e as nuvens ficaram carregadas | Paulo Lopes/Futura Press

Nesta segunda, o tempo fica nublado, e podem ocorrer pancadas de chuva. A mínima fica em torno dos 18oC e a máxima não deve passar dos  25oC.

Na terça-feira, o frio fica mais intenso. Os termômetros não passam dos 21oC. A chuva diminui.

A partir de quarta, o sol deve voltar a predominar, e as temperaturas voltam a subir. A mínima fica em torno dos 14oC e a máxima sobe para 25oC.

De acordo com Schneider, chuvas mais significativas não devem atingir o sistema Cantareira. A frente fria, que veio da Argentina, deve passar rapidamente e de forma menos intensa pela região.

 

Estragos em Sorocaba

Uma forte ventania derrubou árvores, dois postes e deixou bairros sem energia em Sorocaba neste domingo. O Inmet registrou ventos de até 73 m/h.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo