Alpes Suíços: um destino atraente para turistas no inverno

Saint Moritz, conhecida como reduto de celebridades, é o símbolo transformação turística da Suíça, antes apenas um destino de verão

Por BBC Brasil
Alpes Suíços: um destino atraente para turistas no inverno

Eis uma história que mostra como um pequeno grupo de turistas ingleses mudou a Suíça para sempre. Ela envolve uma aposta feita entre o gerente de hotel Johanes Badrutt e seus hóspedes, um grupo de comerciantes e proprietários de terra, em uma noite úmida de setembro em St. Moritz, no ano de 1864.

Enquanto os hóspedes estavam sentados perto da lareira no Engadiner Kulm Hotel, Badrutt viu uma oportunidade de ouro.

"Vocês passam as férias aqui durante o verão. Por que não desfrutar das montanhas o ano inteiro? O inverno aqui é tão agradável que em certos dias nem é necessário usar casaco", disse, enquanto servia copos do vinho tinto Veltliner.

Dispostos a fugir do notório mau tempo inglês, os viajantes aceitaram o desafio. Até aquele momento, St. Moritz era apenas um destino modesto de caminhadas entre julho e agosto, o auge do verão europeu. Mas se a promessa de Badrutt sobre um inverno prazeroso na região falhasse, ele pagaria pela viagem do grupo.

Em meados de dezembro daquele ano, aqueles hóspedes voltaram à Suíça. Quase no final de sua viagem de uma semana, os homens sentaram-se em um trenó puxado a cavalo e, cobertos de casacos da cabeça aos pés, cruzaram os Alpes para chegar a St. Moritz. Lá, os céu estava claro e a turma suava em bicas. Badrutt, sem casaco e com as mangas da camisa enroladas, esperava o grupo.

A sacada genial da aposta é que, além de os ingleses terem ficado até março como hóspedes pagantes, eles rapidamente espalharam a notícia de que St. Moritz tinha um clima especial: seco, com sol e um alto grau de previsibilidade sobre a neve. O turismo para o ano inteiro chegara aos Alpes.

986576094985075b13fb41ad851284f99f375677-f7e5192bff9dc830f6b3c1c6b80bef69.jpg Apesar da neve, Saint Moritz tem clima mais ameno e se gaba de contar com pelo menos 300 dias de sol por ano / Getty Images

"A história é verdadeira, embora muita gente acha que seja uma lenda", explica Richard Leuenberger, gerente do Badrutt's Palace, um hotel cinco estrelas de St. Moritz. O estabelecimento foi aberto em 1896 por Caspar, filho de lendário gerente de hotel, para justamente colher os benefícios da aposta bem-sucedida do pai.

"Antes dos Badrutt, as pessoas não tinham razão para vir a St. Moritz ou mesmo às montanhas suíças no inverno. A demanda se restringia ao verão", completa Leuenberger.

Praticamente sozinha, a família "vendeu" a ideia de uma terra das maravilhas frias. No mesmo ano de 1864, o primeiro escritório de turismo da Suíça foi aberto. Anos mais tarde, um padre anglicano britânico, Alfred Strettel, que passara algum tempo trabalhando em St. Moritz, também fez propaganda da cidade em cartas enviadas para jornais do Reino Unido.

Logo, outras cidades suíças começaram a explorar o turismo gelado, incluindo o nicho das clínicas médicas para curar pacientes com tuberculose e outras doenças respiratórias. Mas Badrutt tornou a Suíça mais acessível do que nunca. Para custear o investimento que fizera no Engadiner Kulm, ele precisava manter o hotel aberto o ano todo. Badrutt fez melhorias no estabelecimento visando os turistas de inverno. Construiu, por exemplo, um ringue de patinação. Nos anos 1880, o número de visitantes falando inglês era tão grande que o gerente lançou um jornal na língua de Shakespeare.

"Antes dele (Badrutt) tínhamos apenas 75 leitos na cidade. Nas quatro décadas seguintes, o número saltou para 2 mil", explica Leuenberger.

John Webster, historiador especializado em St. Moritz, explica que a cidade criou o conceito de férias de inverno. E a influência na vida suíça é exemplificada pelo fato de que foi o hotel de Badrutt o primeiro lugar do país a ter energia elétrica, em 1879. Naquele mesmo ano, o gerente instalou banheiros com a capacidade de dar descarga, algo nunca antes visto nos Alpes.

986576116f054e63e68d400eaaeb6d6bdefe4ffa-eb80d1611bc2ab565b5467e68c97b208.jpg Até meados do século 19, cidade recebia turistas em busca de caminhadas de verão / BBC

Em 1882, o Lago St. Moritz foi palco do primeiro Campeonato Europeu de patinação e da primeira corrida de tobogã. Isso tudo décadas antes do esqui se tornar moda entre as elites.

A história de St. Moritz é também de transformação social. "Os novos ricos pela primeira vez se misturaram à aristocracia", explica Webster, enquanto aponta para os telhados dos oito hotéis de cinco estrelas da cidade.

Estrelas de Hollywood de diversas eras, como Errol Flynn e Audrey Hepburn transitavam pela cidade. Hoje, porém, a competição de outras cidades é ferrenha. Andermatt, por exemplo, recebeu investimento do bilionário egípcio Samih Sawiris em 2013. Em Lucerna, um megahotel e spa, o Burgenstock, abriu as portas em julho.

Mas ainda há algo que nem rivais mais estabelecidos, como Gstaad e Zermatt, podem oferecer: o famoso "clima de champanhe" do Vale de Engadine. Não é por acaso que St. Moritz tem como slogan a promessa de 300 dias de sol por ano. Johannes Badrutt pode já ter deixado este mundo, mas seu impacto não será esquecido.

 

©
Loading...
Revisa el siguiente artículo