Comer rápido pode aumentar o risco de AVC e doenças cardíacas

Por Metro Jornal
Joe Raedle/Getty Images
Comer rápido pode aumentar o risco de AVC e doenças cardíacas

Você é do tipo que demora para comer ou daqueles que mal conseguem encontrar um horário para se alimentar? Bom, se você faz parte do segundo grupo, esse estudo pode fazer você rever seus hábitos. Uma pesquisa apresentada nos Estados Unidos pela American Heart Association (Associação Americana do Coração) constatou que pessoas que comem rápido são mais propensas a desenvolver obesidade e a chamada síndrome metabólica, um conjunto de fatores que favorecem o surgimento de doenças cardíacas, diabetes e aumentam o risco de AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Pesquisadores japoneses apontaram que esse quadro ocorre quando alguém apresenta obesidade abdominal, alto nível de açúcar no sangue em jejum, hipertensão arterial, alto índice de açúcar no sangue e/ou baixo colesterol HDL, o que muitos conhecem como o "tipo bom" — e basta ter um só desses fatores para já estar correndo os riscos.

Para entender melhor a doença, os pesquisadores avaliaram 1083 pessoas (642 homens e 441 mulheres), de cerca de 51 anos, que não apresentaram síndrome metabólica em 2008. Depois, os participantes foram divididos em três grupos baseado em como eles classificariam a velocidade com que se alimentam normalmente: lenta, normal ou rápida.

Leia mais:
Aprenda o truque de Shakira para controlar a vontade de comer doces
Carboidrato causa mais risco para coração do que carne

Depois de cinco anos de estudo, os resultados começaram a aparecer: aqueles que se alimentavam mais rapidamente tinham 11,6% de chance de terem desenvolvido síndrome metabólica, em comparação aos que comiam em uma velocidade normal (6,5%) e lenta (2,3%). E como você já deve ter imaginado, também ficou evidente que quanto mais rápido uma pessoa comia, maiores eram o ganho de peso, glicemia e circunferência abdominal.

“Comer mais devagar pode ser uma mudança de estilo de vida crucial para ajudar a prevenir a síndrome metabólica,” alertou o cardiologista da Universidade de Hiroshima, no Japão, e autor do estudo, Takayuki Yamaji. “Quando as pessoas comem rápido, elas tendem a não se sentir cheias e são mais propensas a comer demais.”

Loading...
Revisa el siguiente artículo