Evento organizado por Atala terá 30 especialistas em gastronomia

Por Lara de Novelli - Metro São Paulo

Nos dias 26 e 27 de janeiro, São Paulo vai sediar um evento diferente, o FRU.TO, encabeçado pelo chef Alex Atala e pelo produtor cultural Felipe Ribenboim, que receberá 300 convidados de várias partes do mundo para debater estratégias e alternativas sobre como levar alimento de qualidade para a população mundial.

As palestras serão transmitidas para o mundo todo pela internet. Para especialistas, São Paulo é um dos poucos centros mundiais que reúne uma cena que cresce diariamente de oferta orgânica, projetos de hortas urbanas, organizações não-governamentais engajadas na questão da alimentação, chefs que trazem essa discussão e projetos voltados para a origem do alimento.

Mas o que nós, que não somos chefs, nem nutricionistas, nem produtores de alimentos temos com isso? Vamos ver se você reconhece alguma dessas situações. Quando vai comprar comida ou está com fome, pensa mais ou menos assim:

Atala

Se identificou? Rá! Mas a questão da alimentação pode e deve ir muito além da fome e da escolha imediata. E isso não é papo de chato, não. Cada vez mais nós somos forçados a nos preocupar com o que comemos, e, geralmente, depois do estrago no nosso corpo já estar feito. Quem nunca levou um puxão de orelha do médico…?

E, apesar da saúde de cada um ser muito importante, há também uma questão que parece longe e de responsabilidade de técnicos e acadêmicos, mas está muito mais nas mãos de nós, consumidores, que escolhemos nas feiras, mercados, mercearias e quitandas tudo o que vamos comprar todos os dias: a capacidade de produção de bons alimentos num planeta em que a população só cresce e vive cada vez mais. É uma bobagem? O que nós e nossos filhos já estamos sofrendo com as más escolhas, aqui e ali, do que comemos? É, sim, uma questão para já, e para nós, consumidores, que temos o dinheiro e a força do poder da escolha.

O que é um tanto abstrato e por isso difícil para entender é que tudo isso está ligado. Na hora da fome, em geral, pensamos no que não comer (para não engordar), mas deveríamos pensar no que… comer!!! E o modo que o alimento é produzido tem um impacto direto sobre a nossa saúde. Não é só se estamos ou não no peso, mas, pense bem, somos feitos daquilo que mastigamos e engolimos. Logo, se não fizermos boas escolhas, não teremos boa saúde (independente da forma física).

Ah, você não liga para saúde, nem para a forma física, não tem filhos, só quer se entupir de hambúrguer, bacon e cerveja? Ok, ainda assim isso é da sua conta. Primeiro, porque o gosto do seu hambúrguer depende de como o gado é criado, remédios que toma… E  ainda tem aquela questão que pega todo mundo: o bolso.

Na lei mais simples e mais antiga de mercado: da oferta e procura. Hoje, somos 7,5 bilhões de habitantes na Terra. A estimativa da ONU é de que seremos 8,6 bilhões em 2030. E, como sabemos que a comida não cai do céu diretamente para as gôndolas do mercado, se não consumirmos de uma forma mais consciente e nos perdermos na capacidade de produção, vai faltar. E então, vamos entender tudo isso? Logo mais falaremos sobre comida e cultura. Que fome!


FRU.TO Diálogos do Alimento

Palestras Eixo Cultural

Comida é cultura e deve ser visitada e estudada como tal. Ela transforma, expressa e representa tradições e costumes de um povo.

Palestras Eixo Biológico

Desde a semente que nos dá o fruto até os equipamentos que ajudam o ser humano a aprimorar sua relação com a natureza, tudo deve ser discutido e pode ser melhorado.

Palestras Eixo Social

A maior rede social do mundo é o alimento, e sua capacidade de integrar e denotar relações não deve ser subestimada.

Entre os palestrantes estão:

ALEX ATALA

Chef e proprietário dos restaurantes D.O.M., Dalva e Dito, Açougue Central e Bio – Comer Saudável,  é reconhecido internacionalmente por sua cozinha autoral brasileira e por seu trabalho de valorização dos ingredientes e produtores de todo o Brasil.

CARLO PETRINI

Jornalista, escritor e defensor de um sistema alimentar sustentável.

CÉLINE COUSTEAU

Ativista social e ambiental e documentarista.

ERNST GÖTSCH

Agricultor e pesquisador suíço, Ernst é referência internacional em Sistemas Agroflorestais Sucessionais.

ISADORA FERREIRA

Jornalista com mestrado em desenvolvimento sustentável.

JASON CLAY

PhD em antropologia e agricultura internacional, Jason Clay coordena diversas áreas na WWF – Estados Unidos

LUIS GINOCCHIO

MBA e especialista em alimentos e inovação, foi ministro da Agricultura do Peru de 2011 a 2012.

MARK EMIL

Antropólogo social, trabalhou como gerente do premiado restaurante Noma, na Dinamarca.

RIA HULSMAN

Trabalhou na região amazônica boliviana em agrofloresta sustentável.

RON FINLEY

Artista, designer e permacultor, Ron se define atualmente como um jardineiro de guerrilha.

SUZANA HERCULANO

Bióloga e neurocientista brasileira, professora associada da Universidade Vanderbilt, nos EUA, formada no Brasil, EUA, França e Alemanha, autora do livro “A Vantagem Humana: Como Nosso Cérebro se Tornou Superpoderoso”.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo