A incrível transformação da mulher que se tornou fisiculturista aos 63 anos

Britânica Nia Ceidiog encarou concorrentes quase 20 anos mais jovens em campeonato na Inglaterra - e saiu da disputa com uma medalha.

Por BBC Brasil

A produtora de TV Nia Ceidiog não estava sozinha na disputa, mas nenhuma das outras 299 participantes do grande prêmio de fisiculturismo Xplosive Ape em Birmingham, na Inglaterra, era como ela.

A britânica entrou na competição, que aconteceu no início do mês, só para ver até onde "um corpo de 63 anos seria capaz de ir". E saiu como a avó que superou problemas de saúde para se transformar em uma das mulheres mais velhas a estrear no fisiculturismo.

A experiência foi resultado de um desafio que ela assumiu em 2016: perder peso. O plano era, em suas palavras, ficar "apresentável" para o casamento de um de seus filhos.

Primeiro, mudou o próprio cardápio, antes à base de vinho e de comidas congeladas. E começou a fazer ioga. Reduziu seu peso e trocou o guarda roupa – deixou de vestir roupas tamanho 42 para adotar o manequim 36 – deixando de comer carne e laticínios.

"No início, foi por vaidade. Embarquei em um processo de mudança para ficar mais apresentável", disse Ceidiog, referindo-se à transformação extrema pela qual passou.

No ano passado, ela decidiu desenvolver massa muscular e tentar o fisiculturismo. Foi quando se submeteu a uma intensa rotina de exercícios e a uma dieta de 3 mil calorias diárias com alto consumo de proteínas.

"Isso exigiu dedicação extrema e teve momentos difíceis no caminho. De fato, houve um ponto em que estive prestes a deixar tudo", contou.

Ceidiog voltou a comer carne e a consumir laticínios para ganhar músculos. Em seu caso, segundo ela, isso teve um efeito contraproducente no corpo.

"Estava ficando desanimada física e mentalmente. Me sentia cada vez mais pesada, e isso por causa dos músculos, não pela gordura."

99606723231a6d6c0ccf4787bb3b88cf744adb09-686f1ac377e017ecad11df9f69fd4ca0.jpg A transformação começou quando Nia Ceidiog decidiu ficar "apresentável" para o casamento de um dos filhos | Foto: Patrick Olner / BBC

Seis meses depois, ela desenvolveu uma espécie de psoríase – um fungo doloroso apareceu sob as unhas devido a uma produção de células anormais.

"Esses problemas graves me fizeram entender que algo horrível estava acontecendo no meu corpo, e que eu precisava urgentemente fazer algo", disse.

Ela procurou um médico, que não conseguiu dar um diagnóstico preciso. Depois, consultou-se com uma naturopata que a sugeriu trocar a dieta.

"Retornei ao meu padrão alimentar anterior e voltei a sentir entusiasmo", revelou, com alívio.

'Tirei dez anos das costas'

Ceidiog disse que decidiu priorizar a saúde, em vez de perseguir a meta inicial de ganhar músculos. O resultado, segundo ela, foi melhor do que o esperado.

Meses depois, a agora fisiculturista não apenas competiu em Birmingham como também ganhou uma das três medalhas distribuídas na categoria para maiores de 35 anos.

99606722c539c35f6719416c83ad3305d128c048-270d8fd688c2967c3360a4612b505208.jpg Nia Ceidiog foi uma das três medalhistas na categoria acima dos 35 anos no campeonato em Birmingham | Foto: Photoarts bt Jay / BBC

Com óleo espalhado no corpo, vestindo um biquíni rosa e de salto alto, ela ficou lado a lado com mulheres quase 20 anos mais jovens.

"Minha família me acompanhou para me animar. Posso dizer que conheci um mundo maravilhoso", disse Ceidiog à BBC.

Ela afirmou se considerar uma vitoriosa, e que todo o processo que a levou até o palco para exibir seus músculos foi muito importante.

"Cresci muito. Isso tudo me tirou uns dez anos de idade, levando em conta o jeito que pareço agora, a forma como penso, a confiança que conquistei."

"Foi uma experiência incrível de transformação física, espiritual e intelectual", concluiu.

Nia Ceidiog tem planos: participar de um novo campeonato de fisiculturismo.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo