Deixe os seus móveis antigos de cara nova!

Por Metro Jornal

Seus móveis estão velhos? Você simplesmente cansou deles? Deu vontade de comprar novos? Então, calma. Antes de jogar fora seus móveis e gastar dinheiro com novos, considere reformá-los usando técnicas fáceis e, o melhor de tudo, baratas.

Camila Bianchi, dona e gestora de criação da Maria Joaquina Marcenaria, explica que a primeira coisa a se fazer depois de decidir reformar um móvel é descobrir de qual material ele é feito e procurar referências de cor, acabamento e textura. “É importante pensar em como a pessoa quer que fique e pesquisar em cima disso para saber quais materiais comprar”.

“Se for um móvel de madeira maciça, dá para remover o verniz e fazer o acabamento só com cera, para um efeito mais fosco, ou mesmo tingir a mobília. Se for de MDF compensado, é legal pintar ou aplicar fórmica [uma lâmina de madeira que encapa o móvel]”.

A artesã e dona do Além da Rua Atelier, Veronica Kraemer, alerta para o risco de cupins nos móveis como algo importante a se prestar atenção antes de pensar numa restauração. “Cupim é uma praga. Se tiver no móvel vai dar para ver um pozinho de madeira no chão ou dentro do móvel, e aí não tem jeito. Tem que jogar fora.”

Veronica também afirma que quem quer reformar o móvel dentro de casa deve ter tempo, disposição e espaço. “Você precisa separar um canto da casa para fazer isso e tem que forrar tudo com lona para não sujar nada.”

Para quem optar pela pintura, a lista de compras deve incluir lixa, fundo preparatório e tinta da mesma marca, massa corrida para corrigir pequenos defeitos (se tiver) e pincel ou rolinho – existem tintas em spray que não pedem o uso do pincel.

A lixa é necessária para preparar o móvel. “É sempre bom lixar e limpar a mobília antes de começar para tirar a gordura, outros resíduos e o verniz, e para que a tinta possa aderir com facilidade. Então, primeiro, passe um removedor de verniz, lixe um pouco, tomando cuidado para não ir com muita força e estragar o móvel, e, por fim, limpe com um pano úmido quase seco”, sugere Camila.

Se o seu móvel tiver algum defeito, essa é a hora de corrigi-lo. Veronica sugere misturar massa corrida com um pouco de cola para preencher buracos de pregos, por exemplo.

Com isso tudo feito, você já pode passar o fundo preparatório. Em geral, é necessária uma demão de fundo para duas demãos de tinta. Camila aconselha optar sempre por um fundo cinza, “porque ele neutraliza até as cores mais fortes, como roxo ou vermelho”.

Na hora de pintar, certifique-se de que a tinta a ser usada é própria para madeira, feita de esmalte sintético, que também funciona em MDF.

Também é essencial escolher o pincel correto para facilitar o seu trabalho e garantir o melhor acabamento possível: “os rolinhos são os melhores para iniciantes, já os sprays são mais difíceis, porque, se não souber usar, podem acabar manchando o móvel”.

Camila reforça que, depois de terminar a pintura, não é necessário aplicar verniz, a não ser que você queira um acabamento mais fosco ou mais brilhante. “A maioria das tintas já tem proteção, então não é necessário passar o verniz só para proteger a pintura.”

 

Arte móveis

Sem tinta

Para quem não quiser se sujar com tinta ou não tiver confiança para apostar nas habilidades artísticas, Camila sugere outra opção de transformação: adesivos. “A maior vantagem é que são muito práticos e versáteis.”

Os adesivos podem cobrir o móvel inteiro ou só partes. Neste último caso, não é preciso nem lixar a mobília antes, “é só limpar o móvel com detergente neutro nas áreas de aplicação do adesivo”.

Outro detalhe legal é investir em puxadores novos, caso o móvel tenha portas ou gavetas.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo