Plantas em muros, paredes e telhados amenizam o calor e deixam a paisagem urbana mais bonita

Primeiro jardim vertical do projeto de corredores verdes nos viadutos da avenida 23 de Maio/Divulgação
Plantas em muros, paredes e telhados amenizam o calor e deixam a paisagem urbana mais bonita
Por: Carlos Minuano - Metro Jornal São Paulo

Quem mora em grandes cidades sonha com paisagens naturais e clima agradável. Mais áreas verdes poderiam amenizar o problema. Os benefícios vão bem além da beleza e da sombra fresca. Absorção de carbono, redução de ilhas de calor e diminuição do estresse são apenas alguns exemplos.

Em São Paulo, considerada a quinta maior metrópole do mundo, fica difícil esquecer que faltam árvores: basta respirar. Mas, como arborizar cidades já verticalizadas e sem espaços disponíveis?

Jardins verticais e tetos verdes são duas alternativas que podem fazer diferença nas grandes cidades. Embora diferentes, são soluções ecológicas que, de certa forma, transformam a realidade da paisagem urbana e deixam a temperatura mais suportável.

Além de amenizar a falta de verde nos grandes centros, ambos caíram nas graças de paisagistas. Aplicações podem ser feitas em paredes internas, muros externos e em telhados de residências ou prédios.

Corredor verde
Em São Paulo, o projeto da gestão de Fernando Haddad (PT), que construiu cinco jardins verticais em paredes laterais de prédios em torno do Minhocão (no centro da cidade) foi mantido pelo atual prefeito João Doria (PSDB), mas redirecionado para os muros públicos da avenida 23 de Maio, na zona sul, onde foram apagados os grafites no começo do ano.

O viaduto Tutoia já recebeu no mês passado cerca de 30 espécies de plantas numa área de 1.439 m². Entre elas, manjericão, coração magoado, alecrim, brilhantina,  tapete inglês, orégano, entre outras.

Até o fim de junho, de acordo com a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, outros seis viadutos da avenida também receberão as instalações: Santa Generosa, Beneficência Portuguesa, Pedroso, São Joaquim, Tutoia e Jaceguai. O corredor de muros verdes, após a conclusão da obra, ocupará uma área total de 10.949 m² de extensão na via.

Paisagismo sustentável
O excesso de calor nas cidades e períodos sem chuvas poderiam ser menos desagradáveis com tetos e paredes verdes, calcula o botânico Ricardo Cardim. “Pode substituir o ar-condicionado e colaborar na formação de chuva: onde tem verde, chove mais”. Estima-se que, tanto com o teto quanto com o jardim, a redução do calor é de 7 ºC, em média.

“Qualquer área verde promove redução de calor e aumento de umidade. Plantas não são apenas bonitas, são fundamentais para o equilíbrio do clima, para o ciclo das chuvas, e também reduzem poluição atmosférica e sonora.”
Carol Costa, paisagista

planta.jpg Jiboia é uma boa opção nos jardins verticais
Carol Costa/ Minhas Plantas/ Divulgação


Dicas para sua parede verde

Para um jardim vertical caprichado, tome cuidado com alguns detalhes, como o tipo de planta. Nem todas funcionam bem na parede.

Escolha as com crescimento pendente, para cobrir o vaso. “Hortas e orquídeas não funcionam muito bem esteticamente”, diz a paisagista Carol Costa.

“Para reduzir a temperatura, melhor usar plantas com folhas grandes”, completa. Jiboia, samambaia e véu-de-noiva são três espécies que podem ser usadas.

paredeverde.jpg


Loading...
Revisa el siguiente artículo