5 dicas para ensinar seu filho a comer bem

Por Metro Jornal

Fazer as crianças se alimentarem bem não é uma tarefa fácil, especialmente quando a intenção é fazê-las comer coisas saudáveis.

Camila Verdeja, de 37 anos, que o diga. Para incentivar o paladar de seu filho, Santiago, hoje com 5 anos, ela elaborou uma série de estratégias que serviram de base para a criação de um site, o Gorumet Jr.

“Acho fundamental consultar profissionais especializados para tirar dúvidas e colher informações. E foi com o apoio da minha nutricionista e do pediatra do Santiago que desenvolvi alguns macetes para estimular o paladar dele e criar hábitos saudáveis”, diz Camila.

E se você é mãe e está passando apuros na cozinha com o seu filho, prepare-se! As dicas dadas por Camila a seguir são para você.

1) Diversifique o preparo das papinhas
Além de variar os ingredientes na hora de preparar a papinha do bebê, vale a pena revezar no modo de preparo das receitas. Papinhas feitas com legumes cozidos no vapor são, sem dúvida, a opção mais saudável. Mas se assarmos esses mesmos ingredientes com um fiozinho de azeite, o sabor será bem diferente e a textura também, podendo acompanhar o peixinho grelhado dos pais. Em dias mais corridos, cozinhar com pouca água pode ser a solução. Fica ainda mais gostoso se substituir a água por caldo de carne, frango ou legumes congelados, ou, até mesmo, cozinhar os ingredientes em suco de laranja.

2) Utilize os mesmos ingredientes dos pratos de adultos no preparo das papinhas
Prepare as papinhas com os mesmos ingredientes dos adultos. Além de ganhar alguns minutinhos a mais na rotina, os gastos com as compras serão menores, pois haverá menos desperdício.

3) Explore diferentes texturas, cores e sabores
O mais importante na formação do paladar das crianças é variar, variar e variar. Isso pode, em um primeiro momento, ser sinônimo de mais trabalho, mas em longo prazo os resultados são animadores. É bom caprichar em diferentes sabores, com temperos frescos, oferecendo desde uma sopinha rala até pedacinhos de legumes cozidos para os bebês comerem com as mãos. É preciso haver equilíbrio na oferta dos alimentos, sem priorizar nenhuma textura, sabor ou cor, mas sim um pouquinho de cada um.

4) Apresente os alimentos aos bebês
Os alimentos devem fazer parte da rotina das crianças e a abordagem não precisa ser feita somente na hora das refeições. Visitas às feiras e aos hortifrútis podem e devem ser feitas com as crianças desde pequenas. Brincar de cozinhar, deixar que explorem a cozinha (com supervisão, é claro), cantar musiquinhas e contar histórias, mostrar livros de receitas, decorar os pratinhos pode ajudar muito.

5) Deixe o bebê "brincar com a comida”
Muitos especialistas em alimentação infantil não diferenciam a faixa etária na hora de sugerir a postura mais adequada à mesa. Muitos não recomendam brincadeiras na hora das refeições e sugerem que as crianças devam focar na comida por pelo menos 20 minutos. Mas os bebês aprendem brincando, gostam de explorar com as mãozinhas e levam tudo à boca. Então, por que não utilizar isso a nosso favor na hora de apresentar os alimentos?

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo