Serrinha do Alambari: um refúgio escondido

Por Gislandia Governo - Metro Rio

Vida agitada, cidade caótica. Chega um momento que o corpo e a mente pedem: é necessário dar uma pausa para repor as energias. E que tal um refúgio praticamente despercebido pelos turistas – e por muitos cariocas – para se revigorar? A dica é: Serrinha do Alambari, distrito de Resende, no Sul do Estado.

A bordo da moto Josefina, desbravei esse lugarejo que fica a 4,8 km de Penedo, na ampla região do Parque do Itatiaia. É preciso muita atenção, porque a placa que indica a subida para a Serrinha é discreta. Chegando lá, eis a surpresa: natureza abundante, preservada e com muitas cachoeiras e piscinas naturais.

Como a Serrinha é ideal para o ecoturismo, para ter acesso mais fácil às principais atrações a boa é se instalar no Camping Clube do Brasil. Aliás, a Serrinha só começou a ser ocupada nos anos 1970, com a abertura do camping que, hoje, é o principal local de hospedagem na região. Mas há algumas opções de pousadas por lá também.

Já os poços formados pelas cachoeiras são de impactar. Tem o Esmeralda, Bananal, Dourado e Dinossauro, entre tantos com acessos por trilhas – que não exigem esforço de atleta – em meio à mata nativa. Que demais!

Buracos no caminho

O ponto fraco desse bate-volta perfeito para um fim de semana fica por conta dos muitos buracos pelo caminho. Evite, se possível, ir de moto custom e carros baixos. “Tem problema por causa do cárter do motor [parte inferior do carro e da moto], quando ele é muito baixo. Veículos de porte maior e motos touring, trail e big trails são ideais para esse tipo de terreno”, orienta o técnico em mecânica Edson Luis de Santos Floriano, da Ed Moto Custom.

Pé na estrada e bom passeio!

Veja mais fotos da Serrinha do Alambari:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo