Bateu aquela coceira após o sexo? Saiba o que pode ser

Por Eliane Quinalia

A noite foi boa, o sexo ótimo, mas para difícil mesmo é aguentar aquela coceira na região da vagina no dia seguinte, não é mesmo? E aí haja amiga para receitar fórmulas milagrosas, buscas no Google de possíveis doenças e crédito no celular para ligar para o ginecologista para pedir um encaixe de urgência na agenda.

Mas coceira nem sempre é sinal de doença. Segundo o ginecologista e obstetra Marcos Tcherniakovsky, da Faculdade de Medicina da Fundação do ABC, a presença desse sintoma nem sempre é indicativo de um problema grave de saúde.

"Atividade física, suor ou a roupa usada pela mulher, assim como alguma irritação causada pela látex da camisinha ou lubrificante, podem desencadear coceiras passageiras que duram no máximo de um a dois dias. Nestes casos, os sintomas tendem a desaparecer sozinhos em pouco tempo. O importante é manter a higiene do local, apostar em vestimentas leves e evitar ao máximo se coçar. Agora, se os comichões se agravarem e permanecerem por mais dias, busque um especialista. Só ele poderá informar o diagnóstico correto e indicar um tratamento", diz Tcherniakovsky.

São problemas comuns observados pelos médicos nos consultórios a colpite e a vulvite – infecções causadas por bactérias no interior da vagina e na vulva -, a candidíase e as DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

"A candidíase é o problema mais comum apresentado pelas mulheres. Trata-se de uma infecção por fungo que causa coceira progressiva, corrimento na cor branca – muitas vezes em placas – e ardência na hora de fazer xixi. Quando confirmada após exames ela precisa ser tratada com remédio via oral. Pomadas também podem ser indicadas para ajudar a combater a coceira num curto prazo", explica Tcherniakovsky.

E não pense que a única responsável por esse problema pode ser você, ou melhor, o seu corpo. Afinal, durante o ato sexual é comum que haja uma descamação da pele no interior da vagina que pode facilitar o surgimento desse tipo de incomodo. Às vezes, o seu parceiro pode ter o fungo e ter transmitido esse bichinho chato sem saber. Isso porque segundo Tcherniakovsky, muitos homens podem ser portadores da candida albicans.

"O homem pode ter a candida e não sentir coceira, nem nada, afetando a mulher em uma relação sem camisinha. Neste caso, os dois devem ser tratados para evitar que o problema se repita."

Outros problemas
Agora, se a coceira passar longe da sua vagina e você não conseguir fazer xixi sem sentir dor, fique de olho: pode ser que o seu problema seja uma infecção urinária. Aí é preciso fazer um exame de urina para detectar a bactéria que está no seu organismo e tomar o antibiótico certo para combatê-la.

"A uretra é muito próxima da vagina e isso facilita infecções. As mais comuns são causadas por uma bactéria chamada escherichia coli. Raramente tais infecções acontecem após uma relação sexual. Se isso acontecer, exames complementares devem ser solicitados para avaliar a imunidade da pessoa."

De qualquer maneira, independente do problema, já sabem, né meninas? Camisinha sempre e procurem um médico ao menor sinal de problema.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo