É necessário mudar de parceiro a cada cinco anos?

Autor de livro sobre felicidade afirma que sim.

Por Metro Internacional

O psicólogo cognitivista Rafael Santandreu lançou um livro polêmico que se chama “Las gafas de la felicidade”, traduzido como os “Os óculos da felicidade”. Na obra, ele defende que o amor é uma questão transitória e efêmera; uma emoção perecível que não deve durar mais de cinco anos.

Para o profissional, as múltiplas oportunidades de crescimento pessoal que cada pessoa vive nem sempre podem ser harmonizadas com os objetivos vitais do outro membro da relação.

"No futuro, nenhum casal pretenderá estar com o outro pela vida toda. Na verdade, isso é muito absurdo; os casais devem mudar de parceiro a cada cinco anos. Eu entendo que, hoje, esse discurso parece lamentável, mas o ser humano não está programado para ter uma convivência baseada em monogamia ou um parceiro para toda a vida", argumentou em declarações para o jornal espanhol La Vanguardia.

Na verdade, o terapeuta indica que o grande problema é que mantemos uma crença irracional de que o amor sentimental é a pedra angular da nossa felicidade individual. Ele argumenta que "Hollywood nos vendeu isso, juntamente com o conforto” mas que na realidade “nunca foi assim, e nunca será”.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo