Viajar para Machu Picchu não será mais tão fácil

Governo do Peru adotou medidas para preservar o local e combater o turismo desenfreado na região

Por Ansa

Com o intuito de proteger a cidade histórica de Machu Picchu, o governo do Peru anunciou nesta quarta-feira (14) algumas medidas para combater a grande quantidade de turistas que visitam o local.

A partir do mês de julho, os visitantes não poderão mais ficar na cidade o dia inteiro. Agora, terão que escolher entre dois horários de visitas, das 06h00 às 12h00, ou do 12h00 às 17h30. Caso o turista queira passar o dia em Machu Picchu, deverá comprar um ingresso que custará US$ 70 cada.

Leia mais:
Conheça a magia de Machu Picchu, o santuário Inca no Peru
Vai viajar? Lista revela os destinos MENOS recomendados em 2018

De acordo com as novas regras, os turistas devem ser acompanhados por um guia certificado, e os grupos não podem ser formados por mais de 16 pessoas. Todos deverão seguir os três circuitos da visita planejada, sem poder deixar o caminho. Além disso, os visitantes não poderão entrar com guarda-chuvas ou bolsas maiores que 33×20 centímetros, carrinhos ou varas, tripés ou sapatos com saltos.

"Machu Picchu é uma grande atração, mas estamos preocupados com a sua sustentabilidade. A área está danificada porque há muitas pessoas ao mesmo tempo", disse Sandra Doig, vice-diretora da "PromPeru", comissão para a promoção do turismo no Peru. O número de turistas que visitaram Machu Picchu aumentou ao longo dos anos. Entre janeiro e julho de 2017, cerca de 610 mil pessoas estiveram na cidade histórica.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo