Homem declarado morto por três médicos acorda antes da autópsia na Espanha

Por Metro Jornal

Um detento foi encontrado inconsciente na Espanha no domingo (7) e dado como morto por engano. O prisioneiro Gonzalo Montaya Jimenez cumpria pena no Centro Penitenciário Astúrias e teve a morte confirmada por três médicos, segundo informações do jornal "El Mundo".

Leia mais:
Vírus zika pode ajudar a combater câncer do cérebro
Carnaval de São Paulo terá o seu primeiro bloco emo

O primeiro médico comprovou que Gonzalo não tinha pulso e chamou um guarda para remover o suposto cadáver. Cerca de duas horas depois, o detento foi levado ao Instituto Médico Legal de Oviedo, onde a morte foi confirmada por outros dois médicos.

A família do detendo chegou a ser notificada da morte, porém, pouco antes da autópsia, alguns funcionários perceberam que o corpo estava se movendo e fazendo barulho. Ao constatarem que Gonzalo estava vivo, ele foi levado ao Hospital Universitário das Astúrias.

Segundo os médicos que o atenderam, o diagnóstico mais provável seria catalepsia. Essa doença ocorre quando a pessoa não mostra sinais vitais por um longo tempo – que no caso de Gonzalo foi de cinco horas.

O centro penitenciário disse que fará uma investigação interna para saber o que aconteceu.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo