Como são as novas figuras de Nazca descobertas no Peru

Até hoje, o significado das linhas de Nazca é desconhecido; alguns pesquisadores consideram que se trata de um calendário ou de um observatório astronômico.

Por BBC Brasil

Uma descoberta de 50 figuras até então desconhecidas tem aumentado o mistério acerca dos desenhos geoglifos em Nazca, no Peru.

Uma equipe de arqueólogos peruanos, apoiados pela revista National Geografic e por outros pesquisadores internacionais, fez a descoberta nas encostas dos vales de Palpa, a cerca de 50 km de onde foram encontradas as primeiras figuras. Elas estão em um local conhecido como Pampa de Nazca, na zona costeira de Paraca, ao sul do Peru.

Até hoje, o significado das linhas de Nazca é desconhecido. Alguns pesquisadores consideram que se trata se um calendário. Outros alegam que era um observatório astronômico. Já os mais ousados afirmam que as linhas eram formas de comunicação com extraterrestres.

Segundo a equipe de pesquisadores do Projeto Paracas, esses novos desenhos encontrados são mais antigos que os geoglifos até então conhecidos. Eles foram feitos pela cultura Paraca, que viveu na região de Nazca há mais de 2,7 mil anos.

As imagens foram descobertas graças a imagens de satélites, imagens em 3D e fotografias feitas por drones – equipamentos até então nunca usados na região.

"Os drones permitem ter uma visão muito precisa sem danificar o local", conta Luis Jaime Castillo, um dos líderes do projeto, em parceria com o arqueólogo Johny Isla, professor da Pontifícia Universidade Católica do Peru.

Um dos mistérios em torno das figuras do vale de Palpa é que elas representam figuras humanas e animais. As anteriores, em Nazca, têm linhas geométricas que formam apenas animais.

"Essa é uma mudança fundamental", diz Castillo. "É uma representação antropocêntrica, muito centrada no ser humano, mas também na sociedade que o cerca", explica.

Em muitos casos, as novas figuras formam conjuntos de seres humanos ou um guerreiro perto de um animal.

Outro dos mistérios, diz Castillo, está no tamanho dos desenhos. Nos tempos da cultura de Paraca, "os geoglifos eram visíveis do solo", diz ele. Isso porque as figuras estão situadas nas encostas das montanhas.

1008474762998768eb5d34bf887c9dd4ed4476bae-12b597af3ee7d40d1b276d957b14ed23.jpg Figuras humanas com cocares; elas foram descobertas nas encostas dos vales de Palpa, no sul do Peru. / Karla Patroni/Luis Jaime Campillo/Proyecto Paracas

Já as figuras de Nazca, ao contrário, somente podiam ser observadas de cima, porque estão em uma planície.

Encontro quase casual

A exploração da área começou há anos quase por casualidade, depois de um protesto de ativistas do Greenpeace em 2014. A manifestação, realizada muito perto dos desenhos de Nazca, acabou danificando as linhas.

100841832nasca-a2a6cf1bdbf0741c9cbd2aa6b669c95c.jpg As figuras de Nazca são geométricas e representam animais. / Getty Images

Os trabalhos de reparação e proteção descobriram "uma linha junto à figura do colibri que nunca tinha sido vista", lembra Castillo.

Foi a partir daí que as pesquisas se intensificaram. Para Castillo, podem existir outras figuras.

"Como tudo que fizemos cobre apenas 5% do território (a explorar), ainda nos faltam os 95% restantes. Por isso esperamos descobrir centenas de geoglifos, que deverão ser restaurados e protegidos".

Em fevereiro deste ano, um motorista de caminhão danificou parte das linhas de Nazca. Ele saiu da estrada que atravessa a reserva natural onde estão os desenhos e entrou na área onde ficam os conhecidos geoglifos, criados há quase 2 mil anos e considerados Patrimônio Mundial da Humanidade.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo