Vikings: 'Pedra do Sol' realmente existiu e foi usada para navegar em alto mar?

Por Victória Bravo

Na série Vikings a “Pedra do Sol” foi uma inovação fundamental para as conquistas de Ragnar, que só então pode guiar suas frotas de navios para onde desejava.

Segundo o Popular Mechanics, novas pesquisas mostraram que a ficção andou de mãos dadas com a realidade quanto ao uso dessa estratégia: os Vikings provavelmente usaram cristais como um sistema de orientação quando fizeram suas longas viagens pelo Atlântico Norte.

Dénes Száz e Gábor Horváth, pesquisadores da Universidade Eötvös Loránd em Budapeste, estudaram a distância das viagens Vikings e a tecnologia disponível na época. Uma viagem entre a Noruega e a Groenlândia, por exemplo, levaria cerca de três semanas, e os vikings usavam bússolas solares para guiá-los.

Como o nome já diz, as bússolas solares só funcionam sob o sol. No entanto, as lendas dos Vikings descrevem um elemento conhecido como “Pedra do Sol” que poderia ajudar antigos marinheiros a atravessar o oceano em qualquer clima.

O arqueólogo dinamarquês Thorkild Ramskou sugeriu em 1967 que essas pedras preciosas da lenda poderiam ter sido, na verdade, cristais birrefringentes de calcita, uma pedra comumente encontrada na Noruega.

Szasz e Horváth decidiram então realizar cerca de 36.000 simulações para ver se era possível utilizar os cristais de refração dupla com essa finalidade.

As pesquisas mostraram que a técnica é realmente bem sucedida, mesmo em condições de nebulosidade.

Calcita, cordierita e turmalina foram usadas em diversos ângulos para a reflexão do Sol em um planetário. As três variedades foram efetivas para determinar a posição do Sol, principalmente no amanhecer e anoitecer. Sendo a calcita aquela que apresentou a análise mais precisa.

GIF Reprodução / Giphy
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo