Novo miniPC Raspberry Pi 3B+ chega ao mercado por menos de US$ 40

Por Metro Jornal

Lançado nesta quarta-feira (14), o novo Raspberry Pi 3B+ chega ao mercado internacional prometendo ainda mais qualidade na performance. Além de um processador mais potente, o miniPC agora trabalha em Wi-Fi 2.4 GHz e em 5 GHz, uma entrada de rede mais veloz e um novo chip para Bluetooth.

Principal atrativo desta linha de miniPCs, o Raspberry Pi 3B+ pode ser comprado pelo próprio site da empresa por US$ 35 (cerca de R$ 113), sem contar o frete e eventuais taxas de importação.

O novo processador Broadcom BCM2837B0 é capaz de trabalhar até 1.4 GHz. Além de ser mais rápido do que o antecessor Pi 3B, o chip controla melhor a temperatura ajustando a frequência de ciclos para garantir menor consumo de energia e superaquecimento. É como se um ciclista pedalasse mais devagar numa subida para evitar ficar muito cansado.

Raspberry Pi 3B+ ainda não está disponível no mercado brasileiro, como já acontece com o Pi 3B e a Pi Zero W, mas não deverá demorar a chegar.

Ficha técnica:

CPU Cortex-A53 ARM de 64 bits com 4 núcleos a 1.4GHz
1GB RAM
Wireless 802.11ac e Bluetooth 4.2
Faster Ethernet (Gigabit Ethernet over USB 2.0) de até 300 Mb/s
4 portas USB 2.0, Saída de vídeo, HDMI, câmera e display, microSD
Alimentação por microUSB de 2.000 mA (igual a de um celular ou tablet Android)

Mas o que é um Raspberry Pi?

Raspberry Pi é um computador um pouco maior que um celular, que se conecta a um monitor de computador ou TV, e usa um teclado e um mouse padrão. Foi desenvolvido no Reino Unido pela Fundação Raspberry Pi com o objetivo de promover o ensino em Ciência da Computação básica em escolas.

O miniPC, que chegou ao mercado em 2012, pode ser usado de diversas formas. Além de computador pessoal, pode ser integrado a uma TV para transformá-la em "Smart", ou usado em diversos outros equipamentos como controlar o funcionamento das luzes da casa e em outras "geringonças" para transformá-las em robôs, dependendo da programação.

A placa do Raspberry (framboesa, em português) é vendida separadamente, ou em quites completos, já com estojo, teclado, mouse, fonte de energia, sistema de resfriamento e cartão de memória com sistema operacional.

O sistema operacional "padrão", por assim dizer, é o Linux. Mas a plaquinha também conversa com S.O.s adaptados da Android, do Windows e da Apple.

O interessante é que, como não tem um HD (o sistema operacional precisa ser instalado no microSD!), você pode se dar ao luxo de ter vários S.O.s, um em cada cartão de memória, para os mais diferentes usos do equipamento.

O cartão, aliás, é idêntico àquele que você usa no celular e precisa ter pelo menos 8Gb de capacidade para instalar o sistema operacional.

É possível também usar os slots de expansão para instalar telas LCD diretamente no Raspberry, algumas com sensibilidade ao toque, além de outras coisas.

Como cada um dos pinos do slot tem uma função, recomenda-se passar para o "Nível Master 2 em gambiarra" e estudar bem os esquemas antes de montar qualquer coisa mais elaborada em casa.

Raspberry Slots na parte de cima e na lateral permitem a conexão com uma infinidade de equipamentos / Divulgação
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo