Vício em videogames pode ser considerado transtorno mental, diz OMS

Por Ansa
Pexels
Vício em videogames pode ser considerado transtorno mental, diz OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta última quinta-feira (21) que o vício em videogames poderá ser reconhecido como um transtorno mental a partir de 2018, ano em que será divulgada a próxima edição da Classificação Internacional das Doenças (CID).

Leia mais:
Videogame pode virar modalidade olímpica nos Jogos de Paris-2024
Ninjas do videogame pedem dinheiro no semáforo para manter projeto social

Na lista de doenças, que ainda está sendo preparada, o vício em vídeogames deverá entrar na categoria "distúrbios devido a um comportamento dependente", o mesmo, por exemplo, de quem aposta de forma compulsiva.

"Os profissionais de saúde devem reconhecer que o vício em vídeogames pode ter sérias consequências para a saúde. Mesmo que a maioria das pessoas que joga videogame não tem esse problema, em algumas circunstâncias, o abuso pode levar a efeitos adversos", explicou o líder do Departamento de Saúde Mental e Abuso de Substâncias da OMS, Vladimir Poznyak.

Se o vício em vídeogames entrar na próxima edição da CID, será a primeira vez que a OMS incluirá uma dependência "tecnológica" na lista de doenças.

Para verificar se a pessoa é uma viciada em vídeogames, os médicos deverão prestar atenção em alguns sintomas. Um deles, é quando o paciente dá prioridade aos videogames "até o ponto em que o jogo prevalece sobre os outros interesses da vida".

Segundo a OMS, se o transtorno for aceito na lista, o diagnóstico e o tratamento da "doença" poderá ser facilitado. Além disso, a publicação pode incentivar as agências de saúde a investigarem o tema.

Loading...
Revisa el siguiente artículo