Google demite engenheiro que publicou carta sexista

Por Wanise Martinez
David Paul Morris/Getty Images
Google demite engenheiro que publicou carta sexista

O Google demitiu o engenheiro de software James Demore após a polêmica sexista com que se envolveu no último fim de semana. O funcionário publicou um memorando em que afirmava que “diferenças biológicas” causavam a falta de mulheres em posições de liderança.

De acordo com a mídia dos Estados Unidos, o engenheiro “violou o Código de Conduta” da empresa por “promover estereótipos de gênero”, mas o Google não quis fazer comentários públicos sobre a demissão.

Leia mais:
Google inaugura Youtube Space no Rio com estúdio de filmagem aberto para youtubers
EUA quer ouvir CEOs do Google, Facebook e Amazon sobre regras da internet

Demore causou muita polêmica ao afirmar, em uma carta aos funcionários do colosso tecnológico, que “as opções e as capacidades de homens e mulheres divergem, em grande parte devido a causas biológicas, e estas diferenças podem explicar o porquê não existe uma representação igual de mulheres na liderança”.

Segundo o engenheiro, as mulheres “preferem trabalhos em áreas sociais e artísticas” e os homens “se interessam por programação de computadores”.

Logo após a publicação do material, em outra comunicação interna, a diretora de diversidade do Google, Danielle Brown, afirmou que o documento “não representa o ponto de vista que ela ou a companhia aprovam, promovem e incentivam” e que a “diversidade e a inclusão são parte fundamental de nossos valores”.

Diversos casos de denúncias contra as empresas do Vale do Silício, o pólo de tecnologia mais importante dos EUA, tem surgido recentemente, com mulheres denunciando que há uma cultura de “assédio” a elas em várias empresas.

Por conta disso, por exemplo, o CEO do Uber, Travis Kalanick, e dois dos investidores mais conhecidos do Vale do Silício, Justin Caldbeck e Dave McLure, se afastaram de suas funções por não combaterem o assédio conta as mulheres que trabalham com tecnologia – ou por ter cometido os assédios.

Atualmente, quase 70% dos funcionários do Google são homens, em índice que aumenta para 80% quando se analisa a área de desenvolvimento de tecnologias da empresa.

Loading...
Revisa el siguiente artículo