Pesquisadores estudam veneno de jararaca contra covid-19

Por Metro Jornal

Uma mulher que foi picada por uma cobra jararaca e recebeu várias bolsas de soro antiofídico em setembro do ano passado foi testada negativo para o vírus da covid-19, mas todo o resto de sua família, com quem convivia diariamente, pegou a doença, no Mato Grosso.

Com base nessa informação, pesquisadores da universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) estão estudando se o soro antiofídico é capaz de gerar imunidade ou ter propriedades terapêuticas no tratamento do coronavírus.

De acordo com o estudo, é possível que um dos componentes do veneno da jararaca provoque uma reação cruzada com o Sars-Cov2, afetando os receptores celulares, ou aumente a imunidade do organismo.

“É uma observação inicial que estamos fazendo para saber se o soro antiofídico provoca essa reação. Temos relatos de pessoas que ficaram imunes, por exemplo, à malária após ofensa por cobra e soroterapia antiveneno”, explica o doutor Alexandre Machado, membro do Departamento de Ciências Básicas em Saúde da Faculdade de Medicina da UFMT.

Com informações do O Livre.

Loading...
Revisa el siguiente artículo