Estudante picado por Naja terá que pagar multa de R$ 61 mil

Por Metro Jornal

O estudante Pedro Henrique Krambeck, que na semana passada foi picada por uma cobra Naja que ele criava em casa e quase morreu, em Brasília, terá que pagar uma multa de R$ 61 mil por manter serpente exótica em cativeiro sem autorização.

Os pais, que sabiam e acobertaram para dificultar a ação dos policiais para resgatar a serpente, foram multados em R$ 8,5 mil cada um (mãe e padrasto).

Um amigo de Pedro que é o principal suspeito de abandonar o animal atrás de um shopping após o acidente também terá que pagar multa ao Ibama, de R$ 81,3 mil.

Pedro foi picado pela Naja, uma das espécies mais venenosas do mundo que é nativa da África e Ásia, no dia 7 e ficou internado na UTI por vários dias em coma induzido. O Instituto Butantan, de São Paulo, encaminhou as duas únicas bolsas de soro para esse tipo de cobra que existia no Brasil para salvar sua vida.

A Polícia Ambiental encontrou a Naja dias depois atrás de um shopping em Brasília. O animal foi solto no local pelo amigo do Pedro , que tentava dificultar as buscas da polícia.

Mas no dia seguinte outras 16 cobras foram apreendidas no haras de outro amigo de Pedro. A Polícia Civil agora apura se o rapaz estava envolvido em um esquema de tráfico de animais

Loading...
Revisa el siguiente artículo