Mulher toca violino enquanto passa por cirurgia no cérebro; entenda

Por Metro Jornal

A equipe do King's College Hospital, em Londres, protagonizou uma cirurgia digna de roteiro de série médica. A musicista Dagmar Turner, 53 anos, passou por um procedimento delicado para retirada de um tumor do cérebro. Para preservar áreas responsáveis pela coordenação motora fina, essencial para sua profissão, a britânica tocou violino durante a operação.

Segundo o Professor Keyoumars Ashkan, neurocirurgião do King's College, o tumor estava localizado no lobo frontal direito, muito próximo a uma área que controla a coordenação da mão esquerda. E isso preocupou a paciente, que  toca na Orquestra Sinfônica da Isle of Wight e outros grupos musicais da região em que mora.

Leia mais:
‘Dolittle’: Robert Downey Jr. assume papel que já foi de Eddie Murphy em nova franquia
Feliz aniversário, Riri! Veja o top 10 hits de Rihanna favoritos pelos brasileiros

Ashkan, que também tem formação em música e toca piano, entendeu bem os pedidos da paciente, que tratava o tumor desde 2013. Ela descobriu a doença após sofrer uma convulsão durante um concerto e passou por radioterapia para controlar o crescimento do tumor, de grau 2 (desenvolvimento lento). Em 2019, a doença ficou mais agressiva e a cirurgia foi recomendada. A paciente, que é mãe de um menino de 13 anos, ficou ansiosa para passar pelo procedimento.

A preocupação era preservar a paixão pela música de Dagmar. Antes da cirurgia, a equipe de Ashkan no King's College, centro de referência no tratamento de tumores, passou duas horas mapeando o cérebro da violinista para identificar as áreas que ficavam ativas enquanto ela tocava o instrumento. Com o aval de Dagmar, a equipe estabeleceu o plano de acordá-la no meio do procedimento para que ela voltasse a tocar o violino durante a remoção do tumor.

Isso assegurou que a cirurgia não atingisse áreas cruciais da coordenação motora fina, responsável por toda atividade executada com as mãos. "Nós realizamos por volta de 400 cirurgias para retirada de tumores por ano, o que frequentemente envolve estimular os pacientes a passar por testes de linguagem, mas esta foi a primeira vez que eu tive um paciente tocando um instrumento", disse Ashkan.

A cirurgia retirou cerca de 90% do tumor e manteve todas as funções da mão esquerda de Dagmar. Ela recebeu alta em três dias.

"O violino é minha paixão. Toco desde os 10 anos. Pensar em perder minha habilidade de tocar partiu mneu coração, mas, sendo musicista também, o Professor Ashkan entendeu minhas preocupações. Ele e a equipe se esforçaram para planejar a operação – desde mapear o meu cérebro até planejar a posição em que eu precisava ficar para tocar. Graças a eles eu espero voltar à minha orquestra muito em breve", afirmou.

 

 

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo