Revelam primeira imagem de rosto de guerreira viking reconstruído por cientistas a partir de crânio encontrado em cemitério

Por Victória Bravo

Cientistas britânicos recriaram o rosto de uma guerreira viking de 1.000 anos a partir de crânio encontrado. Nas imagens de reconstrução facial, eles identificaram até um ferimento na testa da mulher enterrada no cemitério biking em Solør, na Noruega.

De acordo com o The Sun, ela foi enterrada em uma recamara cercada por armas mortais, mas não foi inicialmente considerada uma guerreira por causa de seu sexo. Confira:

viking Reprodução / National Geographic

Posteriormente, os cientistas assumiram os erros do estudo sobre o esqueleto escavado no século XIX, concluindo que se deixaram levar pelos achados no túmulo – um machado, uma espada, uma lança, uma faca de batalha e escudos – e tomaram a conclusão equivocada de que o esqueleto pertencia a um guerreiro homem.

Um teste de DNA publicado no American Journal of Physical Anthropology comprovou que a ossada era de uma mulher “com mais de 30 anos e bastante alta”, claramente uma oficial do exército de batalha viking.

Especialistas não têm certeza se o ferimento na cabeça foi o que causou a morte da mulher viking.

No entanto, a arqueóloga Ella Al-Shamahi disse ao The Guardian que esta é "a primeira evidência já encontrada de uma mulher viking com ferimento de batalha".

Ela acrescentou: "Estou muito empolgada porque esse rosto não é visto há mil anos … De repente, ela se tornou realmente real".

gif Reprodução / National Geographic

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo