Mãe paulistana faz vaquinha para pagar cirurgia do filho na Itália

O menino Brenno, de 7 anos, vive em internação hospitalar no Hospital das Clínicas, após sofrer necrose do intestino delgado

Por Metro Jornal

Brenno Geovany Sena Alves completará 8 anos em dezembro, mas há quase 2 vive em internação hospitalar. No final de 2017, o menino perdeu todo o intestino delgado e parte do grosso depois que seus órgãos necrosaram. Hoje, com apenas 80 cm do intestino grosso, depende de nutrição parenteral (alimentação via cateter) e precisa realizar uma cirurgia de alongamento do intestino, que é feita na Itália. Numa corrida contra o tempo, a ex-vigilante Edneusa Sena criou uma campanha online para juntar recursos e salvar a vida de seu filho.

Edneusa, de 40 anos e moradora da zona leste de São Paulo, largou o emprego de vigilante depois que o filho ficou doente. A dois meses de completar 6 anos, Brenno sofreu com a formação de vários nós em seu intestino, o que ocasionou o apodrecimento do órgão. Depois de passar dois meses entubado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), ele conseguiu se recuperar, mas ainda segue lutando por uma chance de vida.

Deisy e Brenno no Hospital das Clínicas Reprodução/Facebook

Em busca de uma solução, sozinha, a ex-vigilante descobriu casos semelhantes ao de Brenno, classificados como síndrome do intestino curto, e conheceu mães de outras crianças brasileiras que conseguiram realizar o procedimento de alongamento do órgão em Florença, na Itália. A descoberta veio, entretanto, com um desafio: conseguir R$ 90 mil para pagar a cirurgia e mais R$ 47 mil necessários para arcar com os custos complementares, incluindo transporte.

Brenno está internado no Instituto da Criança do Hospital das Clínicas (HC), em São Paulo, e só pode ir para casa às sextas-feiras e aos domingos, por um prazo de 8 horas, quando está em boas condições clínicas. A internação prolongada ocasiona recorrentes infecções hospitalares na criança, contraídas por meio do cateter da nutrição parenteral.

Para oferecer melhor qualidade de vida ao filho e livrá-lo dos riscos de novas infecções, Edneusa entrou com um pedido na Justiça para transferi-lo de hospital. A ex-vigilante quer levar Brenno ao Hospital Menino Jesus, que oferece suporte médico para que ela mesma possa administrar a nutrição parenteral no filho, em casa, sem necessidade de internação.

LEIA MAIS:
Testagem rápida de HIV será realizada gratuitamente no terminal Pq. Dom Pedro ll

Separada do pai da criança e sustentando-se com apenas um benefício mensal de pouco mais de R$ 900, recebido por Brenno, e menos de R$ 300 de pensão, Edneusa recorreu a uma vaquinha online e uma petição em busca de apoiadores. Criado há dois meses e meio na plataforma Change.org, o abaixo-assinado já conseguiu 364 mil apoios em forma de assinaturas, porém, a vaquinha recolheu apenas 34% (R$ 47,4 mil) da quantia necessária.

“Fico muito feliz de ver as pessoas apoiando. Quero muito que elas acreditem, porque a gente sabe que tem muita coisa errada e, às vezes, as pessoas têm um pouco de dúvida, de receio. Mas eu conto muito com a ajuda do povo, é assim que vou ver a solução, pois de outra forma não consigo”, desabafa Edneusa, que ainda sofre com um quadro de depressão.

Brenno no Hospital das Clínicas Reprodução/Facebook


COMO AJUDAR?

Para divulgar a história de Brenno e Edneusa, você pode assinar a petição na plataforma da Change.Org. É possível impulsionar a petição para que ela atinja mais pessoas, com R$ 10 ou mais, ainda no mesmo site. Clique aqui para ver a petição.

Para ajudar a arrecadar o dinheiro para a cirurgia de Brenno, doe na plataforma Vakinha através deste link. É também possível compartilhar a página da vaquinha nas redes sociais – Facebook, Twitter, WhatsApp – ou email.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo