Mulher revela por que usou uma máscara para cobrir o rosto por 12 anos

Por Metro Jornal

Imagine passar mais de uma década sem permitir que amigos e familiares vissem seu rosto. Foi o que aconteceu com Saundra Crockett, uma coreana, mãe de quatro filhos e vítima de violência doméstica.

Quando tinha apenas quatro anos, perdeu o pai, vítima de um ataque cardíaco e passou a viver com a irmã e o cunhado, que se revelou um abusador. "Eu achava que ele era um homem bom, mas só depois percebi que ele era um manipulador. Porque ele dizia me amar, ele fazia parecer que não havia problema em abusar de mim. Ele sempre pedia a minha permissão e isso me deixou um sentimento de culpa, que eu carreguei por muitos anos", disse.

Quando finalmente teve coragem de contar o que estava acontecendo, foi surpreendida pela reação da irmã. "Para mim, a negação dela foi pior do que o que ele fez. Era demais para ela aguentar."

Aos 12 anos, mudou-se para a Califórnia (EUA). Tentando fugir da única realidade que conhecia, de dor e violência, Saundra se entregou ao universo da literatura — especialmente, aos romances. "Por isso, meu objetivo de vida passou a ser encontrar o homem certo que mudaria minha vida para melhor".

"Quando eu tinha 16 anos, conheci um rapaz por quem realmente achei que era apaixonada. Nós vivíamos nas ruas e começamos a usar drogas juntos." E foi nas ruas que viveu um verdadeiro pesadelo até os 18 anos. "Fui estuprada, sequestrada. Tudo que você imaginar aconteceu comigo." Aos 19, teve sua primeira filha. "Mas isso só intensificou a dor. Eu não queria ser mãe, eu não sabia como ser mãe. Só queria não sentir dor."

Saundra Crockett Reprodução

O que ela acreditava ser amor não durou. Separada, ela decidiu se casar com outro homem, com quem teve seu segundo filho. Até que, no seu aniversário de 28 anos, flagrou seu então marido com outra mulher. "Ele se zangou, me agrediu e me deixou insconsciente no meio da rua."

A violência foi tamanha que ela perdeu todo o lado direito do rosto devido a uma infeccção. "O primeiro hospital disse: 'Você tem três dias de vida e provavelmente não conseguirá"", disse Saundra à CBS em 2016.

Por 12 anos, Saundra permaneceu assim: abalada e com feridas internas tão grandes quanto as que tentava esconder com a máscara. Nem mesmo seus filhos podiam ver seu rosto.

Mesmo após o traumático episódio, sua relação com as drogas continuou. Teve um terceiro filho e acabou perdendo a guarda deles e a posse de sua casa. Até que quando estava prestes a perder as esperanças, começou a frequentar uma igreja local, onde foi acolhida e se sentiu segura o suficiente para tirar a máscara. Ela também teve sua quarta filha.

Saundra Crockett Face Foward Reprodução/Site da organização Face Foward

Mais tarde, Crockett conheceu Deborah Alessi, cuja organização sem fins lucrativos chamada Face Forward International ajuda pessoas que sofreram abusos físicos a conseguir cirurgias de reconstrução facial. Segundo o site oficial do projeto, após 28 cirurgias e com metade de suas costas cortadas para enxertos de pele, Saundra conseguiu remover a infecção do rosto.

Hoje, Saundra conseguiu voltar para a escola e se formar e se tornou membro do Conselho de Defesa do Paciente da Face Forward International. Ela também é uma voz pela luta contra a violência doméstica.

Assista ao depoimento completo de Saundra Crockett (em inglês):


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo