Documentários mostram impactos e desafios enfrentados por espécies em risco de extinção

Por Brunno Brugnolo - Metro Curitiba

Um duro relatório apresentado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no início desse mês apontou que o impacto humano sobre a natureza está acelerando a taxa de perdas de espécies, e que cerca de 1 milhão de espécies de animais e plantas correm risco de extinção dentro de décadas, “a não ser que ações sejam tomadas para reduzir a intensidade de impulsionadores de perdas à biodiversidade”.

Os impulsionadores foram identificados como: mudanças no uso da terra e do mar; exploração direta de organismos; mudança climática, poluição e invasão de espécies estrangeiras.

O relatório coordenado pela IPBES (Plataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos, na sigla em inglês) contou com trabalho de 400 especialistas de 50 países nos últimos três anos.

O estudo destacou ainda que até 2016, 559 das 6.190 espécies domesticadas de mamíferos usadas para alimentação e agricultura foram extintas. Elas representam 9% do total, e ao menos mais mil espécies estão ameaçadas.

Nos oceanos, quase 33% das coberturas de corais e mais de um terço dos mamíferos marinhos estão ameaçados, até como resultado da poluição marinha, que “aumentou dez vezes desde 1980, afetando ao menos 267 espécies”, segundo o documento – incluindo 86% das tartarugas, 44% das aves marinhas e 43% dos mamíferos marinhos.

O Metro Jornal traz uma lista com algumas produções feitas por especialistas que mostram espécies ameaçadas ao redor do globo. Os documentários podem ser assistidos nas plataformas de streaming Netflix, YouTube ou Looke.

Virunga (2014)

Documentário produzido por Leonardo Di Caprio, indicado ao Oscar, mostra a história dos guardas florestais que arriscam a vida para proteger o parque nacional mais antigo da África, na República Democrática do Congo, sua enorme biodiversidade e seus gorilas da montanha em risco de extinção. Na Netflix.

Virunga (2014) Virunga (2014) / Divulgação

A História Depois do Fogo (2018)

Documentário da Fundação Grupo Boticário acompanha os desdobramentos da expedição realizada na reserva natural Serra do Tombador (GO) para avaliar os impactos do fogo sobre a fauna e flora do Cerrado, considerando as grandes queimadas que atingiram 85% da região em 2017. No YouTube.

A História Depois do Fogo (2018) A História Depois do Fogo (2018) / Divulgação

O Poema Imperfeito (2018)

Produção do Instituto Pró-Carnívoros baseada em livro do mesmo nome contesta a ideia de que a destruição da natureza é algo recente. Filme mostra como grande animais (mamutes, mastodontes e as preguiças gigantes) foram desaparecendo da Terra, lembrando a interfência humana. No YouTube.

O Poema Imperfeito (2018) O Poema Imperfeito (2018) / Divulgação

Mission Blue (2014) e Oceanos de Plástico (2016)

Os dois documentários tratam sobre a vida marinha, sendo o primeiro da oceanógrafa e bióloga marinha americana Sylvia Earle, que debate como salvar os oceanos do mundo de várias ameaças, como a pesca abusiva e os resíduos tóxicos. Já o segundo investiga os impactos da poluição por plástico nos oceanos e propõe soluções efetivas. Na Netflix (Mission Blue) e (Oceanos de Plástico).

Mission Blue (2014) Mission Blue (2014) / Divulgação

Nosso Planeta (2019)

Com imagens inéditas, a série documental com oito episódios coproduzida pela Netflix com a Silverback Films e WWF foi lançada no mês passado. A série mostra as belezas da Terra bem como os impactos das mudanças climáticas sobre os seres vivos em regiões polares, oceanos, desertos e florestas, que incluem cenas fortes sobre o drama de algumas espécies. As imagens foram gravadas ao longo de quatro anos em 50 países e o Brasil teve apenas um cenário retratado: a Reserva Natural Salto Morato, em Guaraqueçaba, no litoral do Paraná. Em 2017, cineastas britânicos vieram registrar a dança pré-nupcial do tangará-dançarino (Chiroxiphia caudata), ave típica da Mata Atlântica. Em grupos de quatro a seis indivíduos enfileirados, os machos ensaiam e se revezam em acrobacias para se exibirem para a fêmea. Após a dança, a fêmea toma sua decisão. O plano era ficar 15 dias na reserva, mas mesmo em um trecho de bioma intocado – com maior possibilidade de encontrar os animais –, a captura das imagens só foi possível no 30o dia. Na Netflix.

Nosso Planeta (2019) Nosso Planeta (2019) / Divulgação

O Extermínio do Marfim (2016)

Também produzido por Di Caprio, com a participação de agentes de inteligência infiltrados, ativistas e guardas, o documentário denuncia caçadores e os traficantes do mercado ilegal de comércio do marfim – sobretudo na China –, que coloca em risco a sobrevivência dos elefantes africanos. Na Netflix.

O Extermínio do Marfim (2016) O Extermínio do Marfim (2016) / Divulgação

Amazônia Eterna (2014)

A maior floresta tropical, dona da maior reserva de biodiversidade do planeta (com 20% da fauna global, por exemplo) é retratada neste documentário, que mostra como é possível a utilização consciente das riquezas da floresta, com projetos bem sucedidos, e discute soluções para os dilemas da região. No Looke.

AMAZONIA ETERNA - DOCUMENTÁRIO Reprodução

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo