Juntas somos mais fortes! Conheça iniciativas que ajudam a recuperar vítimas de violência

Por Metro Jornal

Revelados na semana que marca a luta das mulheres pela equidade de gênero, dados de uma pesquisa do Instituto Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mostram que 4,7 milhões de mulheres foram vítimas de agressão física no último ano, sendo que 22 milhões relatam ter sofrido algum tipo de assédio. A incidência de agressão por familiares, conhecidos, vizinhos, companheiros ou ex-companheiros aumentou 25% em relação a 2016, chegando a 76,4% dos casos.

Os números completos do levantamento Visível e Invisível: A Vitimização de Mulheres no Brasil, são ainda mais assustadores. Mais bem informadas, porém, mulheres quebram o silêncio e vêm buscando assumir o controle de suas vidas.

“Estes indicadores podem ser explicados por uma maior atenção ao tema entre as mais jovens e mais instruídas, que interpretam como violência mais situações do que as mais velhas e menos escolarizadas”, declaram Mafoane Odara e Samira Bueno, do movimento Agora é que são Elas. “Mas revelam também o quão complexos são estes fenômenos e a enorme agenda em aberto que temos para as políticas públicas.”

Em todo o país, há coletivos que atuam no amparo psicológico e jurídico a vítimas dos variados tipos de violência, assistindo na formação educacional e na geração de renda, para que elas possam caminhar livres dos vínculos de dependência que levam a situações de submissão. No Dia da Mulher, conheça algumas dessas iniciativas transformadoras, às quais você pode recorrer ou apoiar.

Tamo Juntas!

O Tamo Juntas! é um coletivo de advogadas, assistentes sociais, psicólogas e pedagogas que orientam e defendem, gratuitamente, mulheres vítimas de violência ou agressões. Nasceu em 2016, como fruto de uma campanha chamada #MaisAmorEntreNós, que tinha a mesma proposta. Daí, o que era uma campanha, virou um grupo de atuação. Embora tenha nascido em Salvador, Bahia, elas atendem todo o país, buscando articulações com advogadas locais. tamojuntas.org.br

Tamo Juntas Divulgação

Tem Saída

Lançado em agosto do ano passado, trata-se de uma política pública voltada à autonomia financeira e empregabilidade de mulheres em situação de violência doméstica e familiar. Oferece atendimento à vítima assim que ela ingressa com denúncia contra o agressor. Após passar pelos órgãos de Justiça, ela é encaminhada aos equipamentos de seleção de emprego da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico de SP. [email protected]; tel.: 156

Tem Saída Divulgação

Artemis

Atua no amparo a vítimas de violência obstétrica e doméstica. A organização, que surgiu em 2013, tem por mote a promoção da autonomia feminina. O coletivo fomenta negócios sociais em conjunto a projetos formativos e educacionais e intercede pela defesa dos direitos. Tem uma revista, universidade, centro cultural e mostra de cinema. Dá cursos livres e de pós-graduação, além de buscar combater a pobreza, garantindo a segurança alimentar e nutricional. artemis.org.br

Artemis Divulgação

Instituto Arte de Viver Bem

Proporciona capacitação e geração de renda para mulheres com câncer de mama. Funciona dentro da Casa da Mulher, em São Paulo, um espaço multidisciplinar que dá apoio psicológico, jurídico, atendimento em fisioterapia, nutrição, e oferece um espaço de beleza para mulheres de baixa renda, que se encontram em tratamento em hospitais públicos, e suas famílias. Há cursos de artesanato, corte e costura, patchwork e maquiagem, entre outas atividades regulares. artedeviverbem.org.br

Arte de Viver Bem Divulgação

Casa das Mulheres da Maré

A Casa das Mulheres da Maré, no Rio de Janeiro, ajuda a fomentar o protagonismo das mulheres da região, contribuindo para a melhoria de sua condição de vida. Num imóvel de quatro andares no Parque União, diferentes frentes se encaixam: qualificação profissional, enfrentamento das violências, atendimento sociojurídico e psicológico, levantamento de dados e articulação territorial para a criação de uma agenda positiva nas políticas públicas para as mulheres. redesmare.org.br

Casa das Mulheres da Maré Divulgação

Plano de Menina

Viviane Duarte criou esta plataforma on-line de protagonismo da mulher em 2016 com o objetivo de conectar meninas a conteúdos transformadores, compartilhados por mulheres que estão fazendo acontecer. Na prática, especialistas em diversas áreas compartilham conhecimentos e trocam ideias sobre vários temas. Entre as mentoras estão a Vivi, que é jornalista e empreendedora, a escritora Clara Averbuck e Jana Viscardi, doutora em linguística e YouTuber. planodemenina.com.br

Plano de Menina Divulgação
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo