Sobrevivente do Holocausto revela segredo para a felicidade e faz sucesso nas redes sociais

Por Victória Bravo

Eddie Jaku é um sobrevivente do Holocausto que se descreve como "o homem mais feliz da Terra". E foi exatamente a felicidade – e o segredo para alcançá-la – que fez com que o senhor de 98 anos se tornasse viral nas redes sociais esta semana.

A história de Eddie

Entrevistado no podcast australiano No Filter, do site Mamamia, ele contou que há mais de 75 anos atrás foi levado juntamente com sua família para o campo de concentração de Auschwitz.

Judeu, na Bélgica ocupada pelos nazistas, Eddie fugiu por um tempo trabalhando durante a noite em uma fábrica de cigarros em Bruxelas. Ele morava com a família no sótão de uma pequena casa que havia alugado graças à ajuda de um belga.

No entanto, em 17 de outubro de 1942 alguém o denunciou: “Voltei as três e meia da manhã e pensei que que todo mundo estava dormindo, mas os meus pais e minha irmã já tinha sido levados; eles estavam me esperando e desta vez eu iria para Auschwitz”, revelou o homem que carrega ainda hoje a tatuagem “1 7 2 3 3 8” feita no campo.

Quando chegou ao acampamento, ficou cara a cara com Josef Mengele, que decidia quem iria para a câmara de gás ou para o acampamento – além de realizar experimentos mortais e cruéis com os prisioneiros. Eddie chama o médico de “O maior açougueiro que já viveu”.

Mengele foi quem decidiu o destino de Eddie e seu pai: “Eu vi meu pai ir para um caminhão, então eu fui atrás dele, desci e estava quase no caminhão quando um bom homem, um bom soldado disse: 'Ei, você! Ele não lhe disse para ir por esse caminho?'. Então ele me disse: 'Seu pai entra no caminhão e você entra no acampamento', lembrou.

Aquela foi a última vez que ele viu seu pai: “Meu pai, 52, e minha mãe, 43 anos, morreram naquela noite em uma câmara de gás, 20 minutos se passaram antes que eles sufocassem”.

Mas Eddie estudou engenharia antes da guerra e isso o ajudou a sobreviver. Ele foi nomeado gerente de uma oficina e por dois meses trabalhou diretamente para Mengele, que o contratou para fazer uma pequena mesa de operações.

O segredo da felicidade

Agora, Eddie acredita que sua missão é transmitir às novas gerações sua receita para uma vida boa: “Você não deve odiar”, diz.

Para o judeu, o ódio faz mal para todos: “Você diz 'eu não gosto dessa pessoa'”, começa Eddie. “Mas você não odeia, o ódio é uma doença, destrói seu inimigo primeiro, mas destrói você também”.

O segredo da felicidade, segundo Eddie, é “uma boa esposa e amigos”. E ele ainda se lembra de um ensinamento transmitido por seu pai quando ele tinha oito anos: “Há mais prazer em dar do que em tirar”.

A princípio, Eddie não entendeu e pensou que seu pai era louco, mas agora ele compreende, pois “tem filhos, netos e bisnetos” e tudo o que você dá, tem sua recompensa.

O homem que passou 15 meses em um campo de concentração, ainda concluiu: “Eu quero ensinar todas as pessoas que são jovens: se elas não aprenderem conosco, não haverá futuro”.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo