Sonho de ser jogador não pode atrapalhar a escola

Por Caio Cuccino Teixeira
Bom desempenho acadêmico pode ajudar o atleta a participar de intercâmbio  | Eder Chiodetto/Folhapress Bom desempenho acadêmico pode ajudar o atleta a participar de intercâmbio | Eder Chiodetto/Folhapress

O futebol é o esporte mais popular do país. Seja nova, seja velha ou seja feita de meia, a bola corre solta em nossas ruas e desperta paixão em milhares de jovens, que sonham ser jogadores ou jogadoras profissionais.

Quando pensamos nos jogadores de futebol, costumamos lembrar das nossas grandes estrelas: Neymar, Kaká, Marta, Ronaldo. Mas não é só delas que o futebol é feito. Aliás, para a maioria, o futebol não é tão glamuroso assim, e, segundo especialistas, ter isso em mente é essencial quando se tem um filho ou uma filha que quer seguir na profissão.

Entre os desafios de se jogar futebol profissionalmente, estão: o risco de lesões, a instabilidade financeira e o pouco tempo de carreira (a média fica entre 8 e 10 anos de atividade).

Tendo isso em mente, é importante não esconder a realidade, mas também não desmotivar o jovem que sonha com a profissão. Além disso, como em qualquer outra atividade, é essencial que os pais estejam presentes e acompanhem os passos do filho, mas sem fazer cobranças por resultados. Afinal, não é porque seu filho treina futebol que ele será um profissional.

Com um cenário tão incerto à frente, é essencial que os pequenos não deixem de estudar por causa do futebol. “É comum que o estudo fique em segundo plano. Muitas vezes, a falta de conhecimento dos pais coloca o trabalho em primeiro lugar.”, diz Ademir de Marco, professor da Faculdade de Educação Física da Unicamp. É muito importante sempre lembrar que a escola deve ser a prioridade.

Com os estudos em dia, o próprio esporte pode ser o passaporte para uma vida acadêmica bem sucedida, por meio de programas de intercâmbio. No Brasil, existem diversas agências especializadas em mandar atletas em idade escolar para estudar em outros países, com bolsas de estudo parciais ou integrais.

Educar para crescer logo educação

Loading...
Revisa el siguiente artículo