Saiba como curtir a Copa sem perder o foco nos estudos

Por Caio Cuccino Teixeira
Combinar com os filhos que tem hora para estudar e hora para assistir ao jogo é a melhor opção | Image Source/Nick White Combinar com os filhos que tem hora para estudar e hora para assistir ao jogo é a melhor opção | Image Source/Nick White

Entre os dias 12 de junho e 13 de julho, o Brasil vai sediar o maior evento futebolístico do mundo. Cada canto do país, e especialmente as doze cidades que vão receber jogos, vão exalar futebol pelos poros. Mas, com tanta euforia, de que forma ajudar as crianças e jovens a curtir a segunda Copa do Mundo verde e amarela e ainda mantenham o desempenho na escola?

Primeiro, não se deve estimular a imagem de que em ano de Copa não se trabalha nem se estuda. “Precisamos reforçar para os filhos que, apesar de toda a grandiosidade do evento, a vida deve seguir sua rotina”, afirma Glay Chrystinne Cápua, professora do Instituto Madre Mazzarello, de São Paulo. É preciso mostrar que a Copa é passageira e que bobear com os estudos pode trazer consequências que vão permanecer depois que o Mundial acabar.

De acordo com a pedagoga, é papel dos pais ajudar os filhos a desenvolver uma rotina que inclua as tarefas escolares e também outras atividades cotidianas, como a hora de lazer e aquela de assistir ao futebol.

Uma dica da coordenadora pedagógica do Colégio Madre Alix, de São Paulo Susana Orio, é fazer combinados com os filhos, tornando possível ajustar os horários de fazer a lição para antes ou depois das partidas.

“É importante lembrar que há hora para tudo. Por isso, assistir aos jogos com os filhos, num momento prazeroso, é importante. Assim como é importante, na hora do trabalho e da lição, que todos cumpram com prazer suas obrigações”, afirma Susana.

Muitas vezes a criança pode mentir e “cabular” a aula para ver os jogos. É muito importante conversar para avaliar os motivos da mentira e apontar as consequências do ato é a estratégia mais adequada. “Quando a criança esconde algo pode ser um sinal de que não encontra acolhimento de seus desejos na família ou de que está sendo influenciada por amigos. Neste caso, o diálogo é o melhor caminho”, diz a coordenadora pedagógica do Colégio Madre Alix.

A pedagoga Glay Chrystinne alerta que a criança deve ser responsável por aquilo que faz, e portanto deve assumir seus atos, bem como as consequências que eles lhe trouxerem. “Deve responder por suas atitudes, só assim, poderá repensar e sustentar suas escolhas.”

educar-para-crescer-com-o-metroMas apesar de tudo, a Copa pode também ajudar a ensinar as crianças. Afinal tanto a Copa como os Jogos Olímpicos (que também acontecerão no Brasil, em 2016) estão relacionados com diversas áreas do conhecimento e podem cair em provas e vestibulares. “Estas competições desenvolvem, além do espírito esportivo, a consciência das diferenças culturais e políticas”, afirma a psicóloga Susana.

Captura de Tela 2014-03-11 às 20.06.14

Loading...
Revisa el siguiente artículo