Motoristas ignoram análise dos filtros e podem ter problemas na estrada

Por Caio Cuccino Teixeira
Manutenção deve ser períodica | Divulgação Manutenção deve ser periódica | Divulgação

A cada feriado que se aproxima a atitude se repete. Quem pode corre para cuidar de todos os preparativos para cair na estrada. E mais do que preparar a bagagem, checar o carro é fundamental. Mas além das conferências padrão, que incluem pneus, palhetas e faróis é muito importante também ficar atento aos filtros do veículo.

A dica vale tanto para quem está pensando em manter a manutenção correta do carro, como para quem quer comprar um carro usado. Para ajudar o motorista, ouvimos o que os especialistas dizem sobre o assunto.

O ideal é começar pelo filtro de combustível, alerta André Gonçalves, consultor técnico da Mann-Filter. Segundo ele, se o produto estiver saturado pode causar entupimento dos bicos injetores e até a queima da bomba de combustível. No mínimo, pode levar a perda de potência do veículo, fazendo com que o motor puxe mais ar que combustível, resultando num maior consumo. “O combustível no Brasil é muito adulterado e isso é um problema. Muitas vezes, além de ser misturado com água, o combustível vem com sujeira. O ideal é que os motoristas fiquem sempre atentos para trocar o filtro de combustível pelo menos a cada 10 mil km”, analisa Flávio Fujie, proprietário da mecânica Fujie Car. A manutenção deste item custa, em média, R$ 20 por troca.

André Gonçalves indica cuidados frequentes | Divulgação André Gonçalves indica cuidados frequentes | Divulgação

O filtro de óleo, por sua vez, quando utilizado além do período indicado (10 mil km), permite a passagem de impurezas. Assim, o óleo sujo utilizado além da quilometragem causa borra no motor e pode até fundi-lo. Além disso, o filtro saturado reduz a durabilidade do óleo novo no motor. O custo médio desta manutenção é de R$ 30.

Por fim, o filtro de cabine é outro item de suma importância já que, em más condições de uso, desencadeia mau cheiro no interior de veículo, perda de eficiência do ar-condicionado e proliferação de ácaros e fungos. “Este filtro custa, em média, R$ 40, mas pode ser trocado a cada seis meses”, diz Fujie.

Mantenha tudo em dia

Combustível

Vida útil: 10 mil km

Preço médio: R$ 20

Problemas: Entupimento dos bicos injetores; queima da bomba; perda da potência e gasto excessivo de combustível

Filtros de ar levam sujeira ao interior | Divulgação Filtros de ar levam sujeira ao interior | Divulgação

Ar

Vida útil: 10 mil km

Preço médio: R$ 40

Problemas: Falta de retenção de partículas e permissão de entrada de ar sujo na câmara de combustão

Óleo

Vida útil: 10 mil km

Preço médio: R$ 30

Problemas: A saturação de óleo sujo gera impurezas e borra no motor, que podem levá-lo a se fundir

Cabine

Vida útil: seis meses

Preço médio: R$ 40

Problemas: Mau cheiro no interior do carro; perda de eficiência do ar-condicionado; e proliferação de fungos e ácaros

Motor pode ser prejudicado pelo filtro de óleo | Divulgação Motor pode ser prejudicado pelo filtro de óleo | Divulgação
Compartimento do filtro de ar deve ser bem protegido | Divulgação Compartimento do filtro de ar deve ser bem protegido | Divulgação

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo