Circula Projeto de Lei que permite acesso a herança digital

Por talita
Senhas, compras e outras coisas acumuladas na vida digital poderão ser acessadas pela família | Divulgação Senhas, compras e outras coisas acumuladas na vida digital poderão ser acessadas pela família | Divulgação

No Brasil circula um Projeto de Lei, que se sancionado, vai permitir acesso à herança digital. São os chamados ativos digitais acumulados na vida on-line: senhas de redes sociais, compras pela internet e dados armazenados na nuvem (biblioteca virtual): músicas, fotos e livros.

Esse pertences revelam informações da intimidade de uma pessoa e quando essa morre, podem acabar perdidos na rede ou confiscados pelos servidores.

Nos sites mais populares entre os brasileiros, é possível definir o status da herança virtual. No Facebook, por exemplo, os termos de uso permitem um procedimento para transformar o perfil da pessoa morta em memorial ou encerrar a conta. Enquanto no Google, pelo gerenciador de contas inativas, o usuário estabelece o destino de seus ativos digitais e com quem eles serão compartilhados depois de sua morte.

Mas, é preciso prestar atenção. Alguns serviços não permitem o direito de sucessão e todo o material acumulado será, obrigatoriamente, repassado para o hospedeiro, como no caso do iCloud – nuvem de armazenamento da Apple.

Já existem serviços de testamento virtual. Entre eles, o site “Se eu morrer primeiro”, um cofre virtual que permite cadastrar até 10 pessoas e 2 grupos de familiares que receberão as mensagens do assinante após sua morte

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo