O grande debate sobre o açúcar

Por fabiosaraiva

Você tem uma queda pelo o que é doce, mas não sabe o que é melhor (ou pior): o artificial ou natural? vamos entender os adoçantes mais populares.

1153249_14402248Açúcar
Os naturais, como o mel e o mascavo, têm em sua composição os “açúcares adicionais”, que entraram para a lista negra da AHA (Associação Americana do Coração) de itens que são prejudiciais para a saúde cardíaca.
“A regra de ouro é começar por alimentos sem açúcar e adicionar você mesmo somente um pouco de açúcar”, aconselha a nutróloga Janet Brill. “Por exemplo, prove um chá gelado sem açúcar ou natural e iogurte sem açúcar e adicione uma pitada do adoçante de sua preferência”.

Aspartame
Uma maneira de evitar adicionar açúcares é usar adoçantes artificiais. O aspartame vem do metanol, da fenilalanina e do aspartato e é 200 vezes mais doce do que o açúcar, diz a nutróloga Janet Brill, além de não ter calorias. Enquanto a Administração de Drogas e Alimentos dos Estados Unidos e a Autoridade Europeia para Segurança de Alimentos afirmam que o aspartame é seguro para consumo humano, alguns pesquisadores colocam em dúvida sua segurança no longo prazo. Dois estudos italianos, realizados em ratos, mostram que doses muito altas de aspartame podem aumentar a chance do desenvolvimento de cânceres relacionados ao sangue, como leucemia ou linfomas. Mas, nenhuma pesquisa relacionou altos níveis de cânceres em humanos ao uso do aspartame.

Manitol e Sorbitol
Esses adoçantes artificiais são açúcares do álcool. Eles não são completamente metabolizados pelo organismo. Por isso, o organismo absorve menos calorias do que quando se consome açúcar comum, explica Janet. Entretanto, eles podem causar vários efeitos gastrointestinais.
“A maioria dos alimentos livres de açúcar ou diets é feita com um desses adoçantes, porque quando se consome esse tipo de alimento, a sensação de inchado e de gases aumenta”, explica o nutricionista das celeridades Mark Macdonald, autor do livro “Body Confidence” .

“Seu corpo não pode metabolizar falsos açúcares. Há muitos outros desafios para a saúde e para a digestão relacionados com esses falsos açúcares, então será sempre melhor usar um adoçante saudável nos alimentos e bebidas”, aconselha Macdonald.

Xarope de Agave
O xarope de Agave é um adoçante natural extraído da mesma planta que é usada na produção da tequila. Ele tem baixo teor glicêmico, o que significa que não aumenta rapidamente o nível de açúcar no sangue. Entretanto, por causa disso, pode ser difícil para o organismo processar. É um tipo de frutose, similar quimicamente ao xarope de milho. Ele contém alguns minerais adicionais, mas está presente em quantidades baixas, o que não faz uma diferença muito significante.

Stevia
Originário de uma planta sul-americana, o stevia vem sendo usado por décadas.
“Stevia é o adoçante de baixa caloria mais saudável no mercado, por isso é o que mais recomendo”, aponta Macdonald. Entretanto, pesquisas recentes mostram que o stevia pode não diminuir e também afetar negativamente o controle de açúcar no sangue em diabéticos. Além do que, não há pesquisas que estudem o consumo de stevia por mulheres grávidas, por isso, alguns médicos sugerem que gestantes evitem o uso do produto.
Pessoas alérgicas à família das plantas Asteraceae/Compositae (que incluem crisântemos, malmequeres e margaridas) também podem apresentar reação ao seu consumo.

 

Brasil 

Pesquisa realizada por professores da Universidade de São Paulo e patrocinada pela Danone Research no segundo semestre de 2012 aponta que o consumo de açúcar entre jovens brasileiros de 3 a 17 anos chega a 21 kg por ano, 2 a 5% a mais de energia do que os 10% recomendados pela OMS (Organização Mundial da Saúde) para a ingestão de açúcares livres na dieta total, incluindo alimentos sólidos.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo