Praia do Forte é opção para quem busca sossego na Bahia

Por Carolina Santos
Farol do Forte fica na sede do projeto Tamar | Tatiana Azeviche/Setur e Divulgação Farol do Forte fica na
sede do projeto Tamar | Tatiana Azeviche/Setur e Divulgação

Quem quer fugir da cidade e viajar, em um fim de semana dá para desfrutar de uma bela paisagem. A quase três horas de São Paulo – trajeto de avião até Salvador mais traslado – encontra-se a Praia do Forte, na Bahia.

Paradisíaco, o destino é conhecido por suas belezas naturais. São praias semidesérticas, arrecifes e uma vasta gama de projetos de preservação marinha, como o Tamar – que cuida de tartarugas – e o Baleia Jubarte.

E não importa se você está sozinho ou acompanhado: a viagem serve para solteiros, apaixonados e também para famílias com  crianças.

 

O que fazer

Quem gosta do mar agitado encontrará ondas fortes em alguns pontos da praia. Mas, é preciso atenção. Em certas áreas, o banho é impróprio por conta da correnteza. Já quem gosta de calmaria certamente vai se encantar com as piscinas naturais formadas pelos arrecifes na maré baixa. A maioria encontra-se perto do farol do forte, onde as águas são quentes e ideais para a prática de mergulho.

 

Onde ir

Um dos símbolos da praia, o farol, fica dentro do projeto Tamar. Assim, para vê-lo de perto é preciso pagar, mas nem sempre a subida até o topo está liberada. Ali perto, a visitação à Capela de São Francisco de Assis é liberada. A igrejinha, construída em 1900 por pescadores, fica em frente à praia do Porto. Lá dentro, imagens de São Francisco de Assis, São Benedito e Nossa Senhora da Conceição, e as telas do pintor baiano Carlos Bastos são destaques. A repórter viajou a convite da Iberostar Hotels e Resorts.

 

Passeio é opção para quem está com crianças

A sede do projeto Tamar, na praia do Forte, é sem dúvida um dos principais atrativos da região. No local, crianças e adultos aprendem mais sobre os animais marinhos, que podem pesar até 750 kg e chegar a 2 m de comprimento.

E não se engane: a base do projeto em nada se assemelha aos aquários aqui da região. Quem chegar com essa expectativa aliás, irá se decepcionar. Lá, as instalações são simples e a céu aberto – o que vale mesmo é o aprendizado sobre as espécies.

Os ingressos para ver as tartarugas de pertinho custam pouco: R$ 16 para adultos e R$ 8 para crianças acima de 5 anos.

Uma boa dica para os turistas é visitar o local na temporada de desova, entre setembro e março. Neste período, a base monitora 30 km de praias.

Capela de São Francisco de Assis | Tatiana Azeviche/ Setur e Divulgação Capela de São
Francisco de Assis | Tatiana Azeviche/ Setur e Divulgação
Piscinas naturais na maré baixa | Tatiana Azeviche/ Setur e Divulgação Piscinas naturais na maré baixa | Tatiana Azeviche/ Setur e Divulgação
Loading...
Revisa el siguiente artículo