Um artista com olhar aguçado e apaixonado por São Paulo

Por fabiosaraiva
Artista posa para foto em seu apartamento, com vista para a av. São João | André Porto/ Metro Artista posa para foto
em seu apartamento,
com vista para a av. São João | André Porto/ Metro

Criador inquieto, Felipe Morozini tem paixão por São Paulo. Formou-se em direito, mas decidiu abandonar a carreira para se dedicar à expressão visual em suas mais diversas plataformas. Às voltas com os preparativos da próxima mostra individual na Galeria Zipper, ainda sem data, ele tirou um tempo para nos responder algumas perguntas. Fotógrafo, artista e cenógrafo, Morozini falou ao Metro sobre sua atuação e proposta e a relação com a cidade.

 

Todo o seu trabalho está relacionado com o campo de expressão por meio das artes. Por que o bacharelado em direito?

Porque acreditava que, através da Justiça, conseguiria mudar positivamente o mundo. Mas percebi que a lei e a Justiça são coisas completamente diferentes.

 

Um dos seus projetos mais notórios prevê a transformação do Minhocão em um parque público. O que você espera encontrar pela frente?

Em primeiro lugar, muito trabalho. Mas é um projeto no qual acredito e farei o possível para torná-lo realidade.

 

Você transitou por diferentes formas de manifestação da arte. Tem alguma que te expresse melhor?

Acredito que a fotografia é uma forma incrível de nossos tempos. Tempos esses imagéticos e visuais. Mas tenho feito muito filme ultimamente: videorretratos.

 

Se você morasse em outra cidade, acredita que sua estética teria caminhado para um outro lado? Que elementos mais atraem seu olhar em SP?

Com certeza. O artista se alimenta do meio. Eu me alimento desta cidade. São Paulo é tão interessante porque não tem uma beleza fácil de digerir. Você tem que procurar e olhar com outros olhos.

 

Você acredita na arte como meio de posicionamento político ou de transformação social? Que função ela representa para você, no campo pessoal?

A arte, para mim, é uma forma de diálogo honesto e sem pretensão. Gosto de pensar em arte social, de não ficar só no campo estético. E é através dela que consigo respirar melhor.

 

Há algum projeto seu em andamento que possamos revelar ou adiantar para o leitor?

Tem a linha de produtos do Metrô, uma outra linha de objetos de design do meu estúdio e minha próxima exposição na Zipper Galeria. Aguardem.

Para saber mais, acesse: www.zippergaleria.com.br/artistas/felipe-morozini

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo