No ‘olho’ da crise, Chevrolet Classic deixa de ser produzido

Por Tercio Braga

Produzido no Brasil desde 2003, o Chevrolet Classic, que nos últimos dez anos foi um dos carros mais vendidos do país e, somente no primeiro semestre de 2013, ocupa a 11ª posição no ranking dos veículos mais emplacados, foi colocado de lado pela General Motors. Antes fabricado em três polos para atender a alta demanda – São José dos Campos e São Caetano do Sul, ambas em São Paulo, e Rosário, na Argentina –, o sedã teve sua montagem interrompida em São José dos Campos neste mês. A montadora afirma que isso faz parte de um novo plano estratégico que visa cortar gastos.

De acordo com dados do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e região, cerca de 750 trabalhadores serão desligados. Por ora, esses funcionários, que estão parados desde o dia 5 de agosto por meio de uma licença remunerada, integram o Programa de Demissão Voluntária (PDV). Caso não aceitem, serão dispensados de qualquer forma com as devidas indenizações previstas em lei.

Para se ter uma ideia do rombo que isso pode causar nos cofres da General Motors, basta pensar que 150 unidades do Classic eram fabricadas diariamente na planta do Vale do Paraíba. Em uma conta simples, pelo menos 3 mil veículos deste tipo deixarão de ser entregues às concessionárias por todo o Brasil. Um número elevado, de fato. Afinal, a média de venda do carro é de 8 mil exemplares por mês – somente entre janeiro e julho de 2013, 54.661 veículos Classic foram comercializados, segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo