Mistura de whisky e outras bebidas aumenta consumo no país

Por fabiosaraiva
Mistura com outras bebidas tem impulsionado o consumo de whisky no país | André Porto/ Metro Mistura com outras bebidas tem impulsionado o consumo de whisky no país | André Porto/ Metro

Uma pesquisa recente do Instituto Kantar Worldpanel mostra que 55% do consumo de whisky no Brasil ocorre com alguma mistura.

A estatística não considera mistura o consumo com água nem gelo, o que vem de encontro aos dados da Scotch Whisky Association, que revelam um crescimento de 73% na exportação para o Brasil nos últimos quatro anos.

Os números vêm endossar uma tendência crescente pelos bares da cidade, de investir cada vez mais na formulação de coquetéis que levam whisky como base.

Suco, refrigerante, água de coco e cubos de gelo com sabor estão entre os mixes mais populares. Tania Cesar, diretora de marketing da Diageo, empresa líder no segmento de bebidas alcoólicas premium, só tem a comemorar: “O público vem descobrindo a bebida de um jeito muito interessante, com proximidade e criatividade”.

Especialistas no assunto, como a sommelière Alexandra Corvo, veem com bons olhos o “jeito” livre de paradigmas do brasileiro. “O importante é o consumidor descobrir qual a melhor experiência para si”. A escolha do copo e a temperatura, diz a sommelière, também não são engessadas. “Isso é mais cultural. Eu sugiro a taça tradicional de vinho.”

Spencer Jr., barman premiado do MyNY, faz um adendo: “Não existe jeito correto. Agora, se você quer aproveitar ao máximo, é preciso ter bom senso. Pegar um single malt e misturar com água de coco, na minha opinião, é um absurdo”.

Aos adeptos dos “clubes do whisky”, embora a indústria divulgue que a bebida não se altera na garrafa, Spencer alerta: “Estudos mostram que, sim, ocorre uma mudança. Depois de aberto, quanto mais ar aprisionado na garrafa, mais rapidamente o líquido vai se deteriorar.”

Saiba mais: O que é um ‘single malt’?

Há três classificações para o whisky. O apreciado “single malt” é produzido totalmente a partir de cevada e na mesma destilaria. Já o “single grain” nasce apenas em uma destilaria, porém admite a mistura de grãos não maltados na composição. E existe aquele que domina o mercado mundial, o “blended”, que é nada senão a harmonização de vários whiskies dos dois tipos para formar uma só personalidade – o que não o torna menos nobre, já que entrega uma variação muito mais ampla de notas de sabor.

Loading...
Revisa el siguiente artículo