Dirty John: análise astrológica sobre os riscos de se envolver com psicopata

Série da Netflix alerta para alerta sobre perfis de abusadores. Atenção para spoilers

Por Vanessa Tuleski

A série Dirty John trata de uma questão bastante complicada: a de uma mulher que encontra um homem que parecia encantador, mas era um psicopata.

O contrário também pode acontecer, de homens se encantarem por mulheres que mais tarde revelam ter um outro tipo de caráter.

Todavia, dada à vulnerabilidade física feminina, mulheres precisam estar mais atentas a perfis psicopatas e abusadores, tema deste artigo, em que também vai se falar do fator astrológico correlacionado com este tipo de perfil e de algumas dicas para não cair na lábia de abusadores ou, mesmo, psicopatas.

Transtornos de caráter e psicopatia

A psicopatia sempre intrigou as pessoas, pois trata-se de seres humanos capazes de fingir e simular emoções, mas essencialmente sem sentimentos e empatia, o que os torna perigosos.

Estatisticamente, apenas de 1% a 3% da população pode ser classificada como psicopata. No Brasil, com uma população de cerca de 210 milhões de pessoas, podemos ter cerca de 210 mil a 600 mil psicopatas.

Todavia, há um grande número de abusadores que podem não ser psicopatas, e que estão respondendo por altas taxas de feminicídio e outros abusos.

Os chamados “transtornos de personalidade”, que incluem outros perfis além dos psicopatas, respondem por um percentual de 7% a 15%, segundo dados divulgados por especialistas, o que é um percentual alto.

Estuda-se que existem três formas de transtorno do caráter:

1- Traço anormal ou traço disfuncional de caráter

É quando a pessoa é mentirosa, aproveitadora, não tem muita responsabilidade com a vida, engana, mas consegue manter uma atividade na vida, seja profissional ou para terminar um curso.

Este tipo de pessoa consegue ter uma razoável vida social e tende, por isto, não ser considerada patológica.

2- Transtorno parcial da personalidade

Já poderia ser considerado patológico e é configurado por um tipo que mente muito e entra em atrito facilmente com os outros.

Não consegue ter uma vida social normal, só trabalha por curtos períodos e só vai terminar um curso se alguém a ajudar, não conseguindo manter uma família ou uma roda de amigos.

3- Psicopatia ou transtorno global da personalidade

É extremamente perigoso, embora nem todo os psicopatas sejam assassinos. Mas são especialistas em mentir, escamotear, distorcer e obter o que querem. Destroem imagens e reputações sem nenhum peso na consciência.

Psicopatas são motivados por status, prazer e poder e são classificados em grau leve, médio e grave.

Estão infiltrados em todos os lugares, mas especialmente naqueles em que podem exercer algum tipo de poder, interessando-se por se tornarem políticos, cirurgiões, executivos, sacerdotes, traficantes, etc.

Possuem habilidades em convencer, seduzir, manipular e subjugar para extraírem resultados unicamente em seu benefício, aperfeiçoando progressivamente este tipo de arte.

Costumam apresentar-se bem, contam muitas histórias, possuindo uma linguagem envolvente.

Estão acostumados a mentir de muitas formas para passarem uma imagem de confiabilidade.

São excelentes observadores, captando necessidades, pontos fracos e carências de outras pessoas.

Emulam sentimentos com perfeição, sendo ótimos atores, mas não sentem o que transmitem, pois o outro, para eles, é apenas um objeto para seus fins.

Quando se aproximam de alguém, seduzem e tentam fazer com que a pessoa se entregue e confie. Todavia, como seu objetivo é exploratório, atuam como vampiros, que sugam e querem algo do outro.

O processo de vampirização pode levar a situações desestabilizadoras e infernais para a pessoa de quem se aproximarem, deixando um rastro de destruição.

Muitos não trabalham e querem ser sustentados ou então obter grandes somas de dinheiro onde estiverem. O anseio por poder é o que mais os caracteriza.

Atenção para este perfil

As pessoas precisam começar a perceber pessoas com algum tipo de transtorno de personalidade.

As vítimas de psicopatas costumam ser boas, generosas, ingênuas, compreensivas e prestativas.

Se você desconfia que está com alguém com este perfil, procure ajuda profissional de um psiquiatra ou psicólogo, pois só ele pode fazer um diagnóstico preciso.

A psicopatia começa desde a infância, entre cinco e 10 anos de idade, mas o diagnóstico só é possível em torno dos 18 anos.

O efeito da passagem de um psicopata pela vida de alguém costuma ser devastador.

Dirty John: o golpe do amor

A série da Netflix “Dirty John, o golpe do amor” é baseada em uma história real e foca na última vítima de John Meehan, um psicopata clássico.

Em um mundo cada vez mais virtual, os aplicativos de relacionamento são o paraíso para este tipo de predador, uma vez que produzem facilidade em encontrar pessoas, escolhê-las de acordo com um perfil específico e criar uma propaganda inicial fantasiosa que vai ajudar a realizar o intento de aplicar um golpe.

O início da série mostra os primeiros encontros de John Meehan e Debra Newell cheios de encantamento e entrelaçamento, exatamente o que muitas mulheres sonham para o amor.

Todavia, há um sinal inicial bastante sério que, se Debra tivesse prestado atenção, já teria cortado John ali, evitando que ele entrasse em sua vida.

A cena é a seguinte:

Depois do primeiro encontro, John acompanha Debra até em casa e ela o convida a entrar. Após alguns beijos e toques mais ousados, que ela sente que podem ser muita coisa para ela em um primeiro dia, ela pede licença e que aguarde na sala.

Ao sair do banheiro, porém, ela o encontra no seu quarto, deitado na sua cama. Neste momento, ela o convida para voltar para a sala, mas ele não reage ou obedece.

Até que ela fala que é melhor ele ir embora, ao que ele se levanta de cara amarrada e sai com passadas firmes sem se despedir, batendo a porta.

Nesta pequena cena, ele já demonstrou quem era: espaçoso, explosivo, invasivo e sem respeito pelos limites do outro.

No dia seguinte, porém, ele ligou pedindo desculpas, pois era um psicopata e a última coisa que eles são é bobos.

Muitas vezes, no afã de dar certo, já que é sabido que a vida amorosa de solteiro tem algo de frustrante, de tentativa e erro, pode-se ignorar sinais de “mau comportamento” que vão ser só esporádicos no começo, mas vão continuar ali e só crescerem com o tempo.

Pessoas esquentadinhas e que invertem padrões, como Jonh fez (ele age como se ele tivesse sido ofendido por ter sido chamado a atenção por ser invasivo), já são um mau sinal.

Há sinais astrológicos de psicopatia?

A resposta é NÃO. Não se pode descobrir pelo mapa astral se uma pessoa é psicopata ou não, pois o mapa traz apenas potenciais, e não conta como as pessoas vão usá-los.

A maior prova disso é o caso de gêmeos, que nascem com mapa astral praticamente idêntico e são pessoas diferentes.

Todavia, se não dá para descobrir por um mapa astral que uma pessoa é psicopata, pode-se afirmar que há um destaque para o planeta Plutão.

Mas o contrário não é verdadeiro, isto é, ter fortes posicionamentos de Plutão NÃO quer dizer que uma pessoa é psicopata.

Até porque pessoas com fortes posicionamentos de Plutão estão sujeitas a se envolverem com pessoas destrutivas e não necessariamente ELAS serem destrutivas.

Mas por que Plutão? Porque Plutão é o planeta do poder, que é a principal motivação de um psicopata: dominar, ter poder sobre o outro, subjugar, sujeitar.

Todos temos Plutão no nosso mapa e temos de escolher como exercer o poder. Só que um psicopata não faz reflexão sobre isto, ele simplesmente usa e abusa do poder, lembrando que há gradações na psicopatia e que o caso de John Meehan era bastante grave, por ser um sujeito capaz de matar.

A infância de John Meehan

No caso de John, seu pai já era um psicopata, um homem envolvido com a Máfia e cometedor de golpes e crimes, que treinava o seu filho desde pequeno para este tipo de tarefa.

Em uma das cenas mais chocantes da série, faz o garoto colocar vidro no meio da comida, mastigar e sangrar a boca, só para dizer que o restaurante tem um padrão inadequado e, com isto, arruiná-lo e atender a seus fins comerciais.

A irmã de John resiste ao padrão disfuncional do pai, mas John, não. Vai ficando progressivamente como ele, especialista em lesar, mentir e trapacear para se dar bem.

E, além da psicopatia, desenvolveu vício em medicamentos, o que o tornou ainda mais ameaçador.

Psicopatia amorosa

Mas como o “golpe do amor” aparece no mapa astral de John?

John nasceu com um envolvente Vênus em Peixes. Todas as mulheres com que teve relacionamentos foram unânimes em dizer que John, inicialmente, se comportava como “o homem dos sonhos”. Psicopatas fazem isso.

Eles estudam as suas vítimas e, no início, passam a fazer tudo por elas. Descobrem do que elas gostam e precisam e prontamente aparecem com objeto ou solução que elas estão precisando.

A vítima acha que é muito feliz e sortuda por ter conhecido o psicopata, como Debra achou. Todavia, ele dá para um dia cobrar, e cobrar muito.

Depois da fase dos favores e gentilezas, um pede o carro emprestado, dinheiro ou outra coisa e a pessoa já está tão habituada a um ser tão gentil, lobo em pele de cordeiro, que vai entregando.

O psicopata vai ficar escamoteado quanto tempo for necessário, para um dia, se a vítima o desafiar a não dar o que ele quer, mostrar a sua verdadeira face: a de uma pessoa completamente sem limites.

No caso de John, Peixes, onde ele tem Vênus, é o signo do encantamento, um posicionamento astrologicamente exaltado. O efeito hipnótico – pisciano –, como se fosse um canto da sereia profundo, chegou a distrair sua primeira esposa.

Ela se casou com ele e o incentivou a ser um enfermeiro anestesista (a anestesia é regida por Netuno, o regente de Peixes) como ela, profissão que ajudou John a se tornar viciado e a lhe dar poder sobre outras pessoas.

John não tinha pena em roubar medicamentos de pacientes para seu próprio uso e aplicar neles algo inócuo, deixando-os morrer de dor.

Por muitos anos, foi casado, e a primeira esposa relatou ter sido muito feliz com ele, até que começaram a aparecer as graves fissuras na imagem do marido.

Ela foi descobrindo seus numerosos casos amorosos, seu vício em medicamentos, e, finalmente, seu desvio de medicamentos no hospital em que trabalhavam.

A imagem de marido e pai carinhoso caiu totalmente por terra. Ela viu que foi só usada e que o sedutor marido não tinha sequer sentimento pelas filhas.

Quando a vida dele começou a entrar em colapso, ele ameaçou matá-la, e só não levou o plano até o fim porque foi preso antes.

Pense no quanto pode ser assustador ficar anos casada(o) com uma pessoa que você NÃO conhece, e que não tem nada a ver com o que você pensava dela.

No mapa de John, Vênus em Peixes, o canto da sereia, faz uma oposição para Plutão, o verdadeiro desejo de John e a sua real faceta: o poder a qualquer custo.

É um aspecto que, mal usado, leva a manipular por meio do amor, a jogar com o outro. Ou a se ser manipulado por outra pessoa (assim como pode ocorrer com Plutão na Casa 7).

Vênus e Plutão, por sua vez, fazem uma quadratura (aspecto desafiador) dissociada (em signos de ritmo diferente) para Marte e Júpiter, respectivamente em Touro e Escorpião, expressando, no caso de John, a fome desmedida por dinheiro e comodidades (mau uso Marte em Touro) e por poder (Júpiter em Escorpião).

Para complicar esta estrutura, John nasceu com o Sol em Aquário oposto a Urano. Mal usado, Urano traz frieza.

E estes dois planetas formam tensão com Netuno em Escorpião, um planeta, que, na sua má utilização, traz conexão com vício e drogas, no caso de John reforçada, ainda, pelo posicionamento de Vênus em Peixes (Peixes pode tender ao escapismo, e, por isto, precisa atento a atração por drogas).

Netuno em Escorpião ajuda em seu abuso pelo poder e a oposição com Urano na sua instabilidade e desrespeito às normas, o que lhe foi ensinado desde a infância.

Reitera-se que temos escolha em como usar as energias do nosso mapa, e, que, no caso de um psicopata como John, este mapa foi explosivo, se configurando como uma impressionante frieza e inconsciência, sendo que a oposição Marte/Júpiter, no caso dele, fomentou também a violência.

John perseguia mulheres, desde policiais até as namoradas com que se envolvia. Ameaçava, chantageava e era extremamente perigoso para elas.

Mas era gentil e charmoso no início, sabendo exatamente como ser o príncipe encantado, como agradar e se mostrar carinhoso.

No vídeo do seu primeiro casamento, os amigos o chamaram pela primeira vez de “Dirty John”.

Isto é, “John imundo”, mas o significado só ficou claro para a primeira esposa muitos anos depois, quando vieram à tona seus numerosos golpes em uma carreira precoce no crime, com incrível habilidade em se safar e usar falhas do sistema para escapar de punições ou minimizá-las ao máximo.

Vítimas de psicopatas costumam estar desassistidas pelo sistema, conseguindo, no máximo, uma ordem de restrição de aproximação, mas que pode não ser o suficiente para evitar crimes e um pesadelo feito de constante medo e ameaças.

Em tempos de redes sociais, é preciso ir além de belas fotos de perfil

“Dirty John” é uma série pesada, que mostra as consequências de se envolver com um psicopata viciado e no grau mais grave como Meehan.

Existem transtornos de personalidade menos lesivos, mas, no meu entender, seria importante que as mulheres começassem a ficar mais atentas.

Em 2019, a empresária Elaine Caparróz contou ao irmão que conheceu um homem pela rede social e que vinha conversando com ele há oito meses.

Ela o convidou, então, para jantar em seu apartamento e, com isto, terminou espancada durante quatro horas seguidas.

Na série, é mostrado como Debra, bem sucedida, mas frustrada depois de quatro casamentos, estava ansiosa para viver uma linda história de amor.

E como John veio, no começo, satisfazer isto plenamente, a ponto de a decoradora de interiores ter entrado na situação sem fazer observações, sem querer saber exatamente quem era aquele homem, mas somente acreditando nas história dele.

Em um documentário sobre o psicopata na própria Netflix (“Dirty John: a verdade nua e crua”), a decoradora de interiores conta como, em uma viagem a trabalho para Las Vegas, John a convenceu a fazer um casamento expresso que depois se tornou um problema na vida dela.

A série mostra como foi extremamente difícil se livrar de John, pois uma vez que o psicopata elege a sua vítima, se sente dono dela e quer explorá-la até o fim.

Daí a necessidade de não se dar espaço para este tipo de abusador desde o começo, isto é, evitando ter uma relação com um tipo assim.

Por isto, em um mundo que facilita encontros, mas está cheio de máscaras na forma de incríveis perfis em aplicativos e redes sociais, faz-se necessário que as mulheres fiquem mais atentas a perfis patológicos, tentando conhecê-los minimamente, daí a motivação para escrever este artigo.

No caso específico dos psicopatas do amor, isto é, homens que exploram financeiramente mulheres e depois as descartam, ou de homens que vão se tornar abusivos mais tarde, aqui vão algumas dicas.

  • Principesco e perfeito demais? Desconfie.

Não que não possam existir homens gentis, mas lembre-se que é preciso tempo para realmente conhecer uma pessoa e discernir o que é propaganda enganosa e o que é realidade, e esta tarefa pode ser ainda mais difícil com um psicopata.

O “ser bonzinho” é uma forma de seduzir. Muitas mulheres relatam que conheceram homens agressivos ou muito críticos que no início eram bem bonzinhos e que, depois, “mudaram”.

Na verdade, eles nunca mudaram, somente ocultaram suas personalidades.

Por isto, lembre-se que nas fases iniciais de um relacionamento existem máscaras e que pode ser um risco já ir morar junto, já casar, pois não dá tempo de conhecer a pessoa.

Existem golpistas que iniciam relações por aplicativo e, depois de algumas conversas, dizem que estão apaixonados e, tempos depois, criam alguma situação para extorquir dinheiro.

O golpe já vem de anos e já fez muitas vítimas. O motivo para esta estratégia é óbvio: confissões de amor desarmam, levam a relação para um outro nível.

  • Imagem desejável. Um psicopata sempre vai se apresentar com profissões que pareçam atraentes.

Vai dizer que é oficial da Marinha Americana, executivo, médico, empresário, etc. O objetivo é iludir a vítima para que ele pareça satisfeito com a profissão, aparentemente sem precisar de dinheiro.

  • Psicopatas e abusadores vão tentar isolar a vítima e afastá-la da família. Enganar um é uma tarefa trabalhosa, enganar vários é difícil. Por isso, fique atento em relação a alguém que fala mal de pessoas de sua família e amigos.

No caso de John, ele era gentil com a mãe de Debra, que caiu na mentira como a filha, então não tinha interesse em afastá-la, mas não gostava da filha mais velha, que alertava a respeito dele para a mãe, e tampouco da outra filha, que também não estava à vontade com ele.

  • Por mais perfeito e interessante que pareça uma pessoa, jamais abra a guarda financeira com pouco tempo de relacionamento, como Debra fez, se casando em Las Vegas e indo, com apenas dois meses, morar com John em uma nova casa que foi ele quem escolheu.

Psicopatas são capazes de criar “histórias tristes” a fim de tentarem induzir a mulher a ajudar financeiramente e outras artimanhas, como foi o truque do casamento relâmpago em Las Vegas aplicado por John.

Ou então dizer que têm um ótimo negócio e sugerirem que a parceira aplique seu dinheiro. Enfim, depois de tantas gentilezas, vem sempre a hora do golpe.

  • Confiar mais nos próprios instintos e escutar opiniões que venham de mais de uma pessoa. No caso da série, a filha mais velha de Debra e seu sobrinho tentam alertá-la com quem ela está se relacionando.

Todavia, depois de descobrir coisas escabrosas, Debra ainda se dispõe a ouvir John e ele consegue criar toda uma teoria da conspiração na qual ela acredita, tal a habilidade que este tipo de pessoa desenvolve, ao longo de uma vida, de se safar e mentir.

  • Checar informações, em especial de coisas que não parecem congruentes. Diz que é médico? Não custa pesquisar se é mesmo.

Outra coisa, no caso de John, ele não tinha amigos, alegava ter tido um litígio com a ex-mulher que queria prejudicá-lo e que se envergonhava da família mafiosa.

Eram muitos sinais de ausência de laços em sua vida e ele sempre como a vítima, outro ponto para desconfiar.

  • Atenção com mudanças bruscas de humor quando contrariado, pois esta é uma forma de domínio. Psiquiatras também narram que psicopatas podem, depois da fase inicial totalmente “bonzinhos”, se mostrarem mais instáveis.

A instabilidade é também uma forma de controle, já que confunde o outro e o mantém em um vai e vem psíquico, sendo uma tática psicológica também usada por outros abusadores.

+ Tudo que você quer saber sobre signos: características, elementos e mais.

+ Veja quais são as previsões para os signos em 2020 e como aproveitar as oportunidades.

+ Veja as previsões do tarot para o amor para seus próximos três meses.

+ Você sabe qual é o seu ascendente? Saiba tudo aqui.

Vanessa Tuleski

Vanessa Tuleski mora no RJ e dá consultas astrológica-terapêuticas pessoalmente ou à distância, focando no que o céu tem a dizer, mas também no que o livre arbítrio pode fazer.

[email protected]

Loading...
Revisa el siguiente artículo