Útero doente: sete tipos de problemas

Por Roberta Struzani

O útero é o símbolo do feminino. Energeticamente, o órgão carrega a nossa potência de criar tudo que queremos na vida. Um útero doente vem carregado de experiências negativas que acumula durante toda a vida da mulher. É nele que se encontra a expressão autêntica daquilo que realmente somos, o entusiasmo da vida, a sensualidade.

O útero guarda memórias de uma vida inteira, atrelado à identidade pessoal, amores, todas as suas relações sexuais e a história de maternidade, seja como mãe ou como filha. Quando há problemas nessas situações, elas ficam para sempre acumuladas no útero, até serem limpas. Enquanto a mulher não faz essa limpeza, os problemas vão repercutindo negativamente em seus pensamentos, crenças e comportamentos.

Memórias do útero são transmitidas de geração em geração

Mas não é só por meio das experiências negativas que acumulamos memórias negativas e permitimos tornar o nosso útero doente. Enquanto estamos sendo gestadas por nossa mãe, no útero dela também tinham suas memórias. Ela, por sua vez, foi gerada no útero da sua avó, e assim por diante. Então, uma mulher carrega em si as memórias e os padrões de toda sua linhagem.

Alguns antigos diziam que era “maldição hereditária” quando uma família carregava sempre o mesmo padrão, ou seja, várias mulheres de um mesmo núcleo familiar viviam situações similares, como aborto, relações abusivas, etc. Existe uma terapia chamada Constelação Familiar que diz que, inconscientemente, buscamos “honrar” nossa família, repetindo a história de alguns de nossos parentes.

Na metafísica, entendemos que os padrões de nossas gerações ficam “impressos” em nossa genética, o que nos faz repetir os mesmos padrões de nossos familiares. No entanto, quando libertamos e curamos um padrão familiar, livramos nossos filhos de carregar essas mesmas tendências. Além disso, já tive relatos de que quando uma mulher se cura, tudo ao seu redor também sofre mudanças. Por exemplo, tive uma paciente que se livrou da sensação de abandono que a acompanhava desde pequena. E, através dessa cura, foi possível que a sua mãe também se curasse do mesmo padrão.

Outro caso foi de uma mulher que se libertou do padrão de ciúmes que todas as mulheres de sua família. Com isso, seu marido também se libertou do sentimento de possessividade, o que gerou mudanças benéficas na dinâmica do casal. É por isso que costumo dizer que a cura de um é a cura de todos.

Como limpar as memórias de um útero doente

Dizemos que um útero doente ocorre quando de tantas memórias ruins que carrega da sua história ou ancestralidade, começa a interferir completamente na vida, escolhas, pensamentos e comportamentos de uma mulher. Ela passa a atrair todo tipo de problema e deixa de usufruir da sua essência, de uma vida mais leve e de vivenciar coisas boas em tais aspectos.

A forma mais rápida e eficaz para curar um útero doente é por meio de uma técnica milenar chamada “Reconsagração do Ventre”. Por meio de uma Meditação guiada e técnicas que induzem a liberação dessas memórias, a mulher ativa o corpo para começar o trabalho de expurgo. Assim, o útero começa a se contrair para expulsar as memórias ali instaladas. Esse é um processo tão forte, que até quem não está realizando a vivência, mas fica perto da mulher que está sendo reconsagrada, algumas vezes sente cólica – que é uma das sensações trazidas pela prática, por conta das contrações de expulsão.

Vale esclarecer que apesar de ser um trabalho introspectivo, a Reconsagração do Ventre não está atrelada a nenhuma crença ou religião. Esse método é realizado em diversas partes do mundo e em culturas diferentes. No Brasil, eu fui pioneira em realizar esse trabalho, há mais de 10 anos, e já formei muitas especialistas que atendem pelo país afora. A Reconsagração do Útero pode ser feita tanto presencialmente quanto online. O resultado é o mesmo.

Os sete tipos de útero doente

Abaixo, você confere as principais características de um útero doente. Pode ser que você tenha questões muito específicas e se identifique com um deles, mas, o mais provável, é que carregue um pouco de cada um em você.

1 Útero Fortão

Esse útero abriga as memórias celulares de mulheres que têm dificuldade em lidar com as próprias emoções. Quando ela tenta fugir do que sente, adotando postura mais racional, ela deixa de acessar os seus instintos, a sua intuição. E seu útero acumula todas as autocríticas, exigências e preocupação excessiva que você tem, em relação ao que o outro pensa a seu respeito. É alguém que vive fugindo do encontro com suas fraquezas e prefere fingir que elas não existem.

Problemas físicos mais comuns do Útero Fortão: essa mulher pode ter candidíase, pois a doença tende a se manifestar quando contemos as emoções ou nos forçamos a fazer coisas sem vontade, como manter uma relação ou um emprego que não trazem mais felicidade.

2 Útero da Expectativa

Esse útero “vive” dentro de mulheres que foram criadas sob alta projeção dos pais ou de algum responsável por sua educação. Ela teve forte influência de alguém que queria que ela atingisse algum ideal. Isso fez com que essa mulher acumulasse em seu útero memórias celulares de medo: de sofrer ou não de não alcançar o que esperam dela. Ela não conhece suas virtudes, pois está acostumada a olhar para si mesma apenas pelo olhar do outro.

Problemas físicos mais comuns do Útero da Expectativa: condicionada, desde nova, a se apresentar de um jeito impecável na frente dos outros, essa mulher pode ter dificuldade de se soltar na cama e, consequentemente, atingir o orgasmo, já que fica preocupada com sua aparência e performance. Além disso, como muitas vezes se cala para não desagradar o outro, isso pode dar origem a ovários policísticos ou miomas.

3 Útero implacável

Esse útero costuma ser abrigado por mulheres que são extremamente julgadoras e “duras” consigo próprias e, naturalmente, com os outros. Esse jeito implacável faz com que ela nunca consiga ficar satisfeita, gerando, em seu interior, feridas de autoestima ou carência. Para não se decepcionar com a vida, ela acaba não se abrindo a qualquer tipo de mudança, pois se sente mais segura nos caminhos que já trilhou.

Problemas físicos do Útero Implacável: a dificuldade dessa mulher em lidar com o novo faz com que tenha fluxo menstrual intenso, pois é a forma de seu útero se esvaziar da carga que ele vem acumulando há anos. A falta de confiança em si mesma pode dar origem à anemia. Já sua busca pela perfeição geralmente causa o aparecimento de artrite, enquanto a falta de amor por si mesma e a crença de que não é boa o suficiente tendem a propiciar o aparecimento de distúrbios alimentares, como a bulimia.

4 Útero Reprimido

Esse útero guarda memórias de proibições e julgamentos, geralmente vividos pela mulher desde sua infância. Ela pode ter sido reprimida por seus pais, cultura, religião, etc. Ela esconde suas dores, se envolvendo em muitas atividades. Reservada, costuma guardar para si tudo que sente. Tende a achar que precisa seguir as regras que foram estabelecidas ao longo de sua vida, para ser feliz.

Problemas físicos do Útero Reprimido: com tantas “censuras” vividas ao longo da vida, essa mulher tende a ser muito travada durante o sexo, o que pode causar dor no ato ou o total impedimento da penetração (vaginismo). Além disso, por se deixar sempre em segundo plano, privilegiando o outro, pode facilitar o surgimento de cistite ou infecções de urina de repetição.

5 Útero Vulnerável

A mulher que abriga esse útero acumula muitas memórias celulares de insegurança e baixa autoestima. Não sabe reconhecer suas qualidades e sempre se acha inferior aos demais. Pode ter vindo de um ambiente doméstico no qual lhe falavam que ela não era boa o suficiente. Isso tende a gerar machucados internos, que dão origem a bloqueios afetivos, como o medo de se entregar ao amor.

Problemas físicos do Útero Vulnerável: essa mulher nutre o desejo de se sentir amada e admirada por seus pares amorosos. O problema é que, para isso, ela dá mais do que recebe, o que a faz se sentir sempre pouco desejada. Aí começam as dificuldades sexuais, como baixa libido, travas na “Hora h” e, consequentemente, pouco interesse por sexo.

6 Útero Abalado

Esse útero abriga memórias difíceis de abusos (sexuais, amorosos ou psicológicos), decepções e traumas diversos. Por terem sofrido muito no passado, muitas vezes essas mulheres alimentam em si raivas, sentimentos de revolta e/ou de vingança. Com isso, acabam abrindo espaço para ainda mais feridas internas, que materializam-se na forma de neuroses, ciúmes, desconfianças ou busca inconsciente por situações que vão machucá-las novamente, como relacionamentos abusivos.

Problemas físicos do Útero Abalado: costuma fazer um sexo mecânico, sem muito envolvimento, por, no fundo, alimentar um medo de se machucar novamente. Isso, com o tempo, vai dando espaço para feridas físicas no útero, como miomas, ou ainda corrimentos vaginais e cólicas menstruais muito fortes. Já o medo em perder o controle emocional em relações afetivas pode facilitar o surgimento de incontinência urinária.

7 Útero Carente

As feridas emocionais acumuladas nesse útero geram sentimentos como o medo de ficar sozinha e desespero para encontrar um amor. As mulheres que possuem esse tipo de útero geralmente vêm de lares desestabilizados ou bagunçados, nos quais viveram algum tipo de abandono, indiferença ou problemas de relacionamento.

Problemas físicos do Útero Carente: as memórias celulares de carência e expectativas que esta mulher guarda acabam fazendo com que ela esfrie seu desejo sexual. Além disso, por se doar demais, pode desenvolver dores ou nódulos nas mamas, assim como cólicas pré-menstruais.

+ Tudo que você quer saber sobre signos: características, elementos e mais.

+ Confira o Calendário Lunar 2020 para se observar ao decorrer do ano.

+ Leia o seu Horóscopo do dia personalizado com base em todo o seu Mapa Astral.

+ Veja o significado do seu signo com o seu ascendente no seu Mapa Astral Grátis.

 

Roberta Struzani

Terapeuta especializada em sexualidade e saúde ginecológica. Realiza atendimentos presenciais e online focados no autoconhecimento, na elevação da autoestima e na saúde do aparelho reprodutor feminino. Sua principal ferramenta de trabalho é o Pompoarismo.

[email protected]

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo