10 dicas para construir um bom relacionamento interpessoal no trabalho

Ter uma ampla rede de contatos pode expandir as oportunidades de carreira

Por Carla Panisset

Existe muita informação atualmente sobre como fazer uma boa rede de networking. E é inegável a importância pessoal e profissional de expandir estes relacionamentos, descobrir locais onde é possível conhecer pessoas e como alimentá-los e renová-los. Uma boa rede de contatos pode ser um divisor de águas no sucesso de um profissional. Vamos trabalhar aqui 10 dicas para você desenvolver um bom relacionamento interpessoal no trabalho.

Pouco tempo atrás atendi uma diretora financeira que decidiu pedir demissão depois de mais de 15 anos na mesma empresa, em busca de novos desafios. Limitada a uns poucos fornecedores e clientes com quem falava pessoalmente, na hora de acessar pessoas que pudessem ajudá-la, se viu numa situação delicada. Em nossa conversa, ficou claro que ela era competente, comprometida com resultados e dinâmica.

Mas, estranhamente, tinha olhos apenas “para dentro” da empresa, não percebeu a importância de construir relacionamentos externos e até mesmo em outros ramos de negócios. Um dos pontos que levantou para ter agido assim era a impressão de que passaria a vida inteira trabalhando no mesmo local. No entanto, quando sua intenção mudou, o fato de não ter um amplo networking começou a ser um problema e passou a angustiá-la. Isso acabou por atrasar o processo e ela levou mais de dois anos para se recolocar, apesar do bom currículo.

Como ter um bom relacionamento interpessoal no trabalho?

Sua rede de relações profissionais pode ser interna (dentro do próprio negócio), cruzada (clientes diretos, parceiros comerciais e técnicos, fornecedores) e externa (redes profissionais de networking). Aqui vão algumas dicas para desenvolver ao máximo os três níveis e expandir as oportunidades de carreira.

Relações profissionais internas

1. Estabeleça confianças: para um bom relacionamento interpessoal no trabalho, você precisa criar vínculos confiáveis com quem trabalha. O relacionamento no dia a dia só cresce a partir de uma base sólida de confiança. A premissa inicial para se confiar em alguém é fazer o que se fala. Em inglês existe a expressão “Walk the talk”, que significa exatamente isto: agir de forma congruente com o que diz. Isto fica evidente quando evitamos contar fatos da nossa vida pessoal às pessoas com quem ainda não estabelecemos uma relação de confiança.

2. Não tire conclusões precipitadas:checar entendimentos é uma boa maneira de evitar rótulos, que inevitavelmente separam as pessoas e “deixam o ambiente pesado”. Muitos preferem tirar conclusões precipitadas a chegar perto do outro para perguntar: “o que você quis dizer com isso?”, ou “não ficou clara para mim sua postura em tal situação, poderia me esclarecer melhor seu ponto de vista?”. Lembre-se de que relações são construídas por meio de atitudes que adotamos com os outros. Relacionamentos não são gratuitos, ao contrário, exigem cuidado e atenção.

3. Seja uma pessoa inspirada e inspiradora: cuide para se automotivar a dar sempre seu melhor. Isso envolve manter um grau de positividade que arrasta quem está ao seu lado. Ninguém quer ser amigo de uma pessoa que só reclama, é agressiva em seus comentários e nunca está disposta a colaborar. Gente “pra baixo” afunda os ambientes e afasta pessoas.

4. Desenvolva seu interesse pelas pessoas de forma ampla: não se limite apenas por quem atua na mesma área. Os horizontes se expandem quando encontramos amigos que sabem fazer o que não sabemos. Aprenda a gostar de gente. Atenção especial a este item se sua área é comercial, pois isto será uma condição essencial para o sucesso. Convide colegas para um café, faça perguntas sobre o trabalho, busque aprender ativamente mais sobre os colegas e crie pontos de afinidades que irão estreitar as relações. Tudo isso ajuda a construir um relacionamento interpessoal no trabalho.

Relações com parceiros, clientes e fornecedores

5. Considere outros pontos de vista: o dito popular “o cliente tem sempre razão” ensina que entender o ponto de vista do outro ajuda a criar um laço sincero com as pessoas e pode até mesmo resgatar um cliente insatisfeito. Quando decidimos ser empáticos com as visões divergentes e diversas fica muito mais fácil desenvolver relações com os que estão sentados na posição oposta à nossa na mesa. Desta maneira se cria uma aliança que fortalece a todos.

6. Passe tempo com os parceiros e clientes: quebre o gelo falando de temas sobre os quais todos gostam de comentar – família, viagem, hobby, esportes ou prêmios que ganharam, por exemplo. Assuntos amenos possibilitam iniciar uma conversa com uma atitude aberta. Somente depois de perceber que a pessoa está à vontade é que deve-se entrar no assunto principal. Assim, evita-se a imagem de um “caçador”, que só está ali para obter o que precisa. Todos querem sentir que alguém se importa com seu bem-estar.

7. Saiba ouvir: justamente porque os clientes e parceiros têm necessidades diferentes das nossas, é crucial que eles falem na maior parte da conversa. E para estimular, podemos fazer perguntas diretas que os façam evidenciar o que precisam e o que esperam de nós.

8. Invista em boas negociações: negocie sempre tendo em vista o ganha-ganha. Negociações bem feitas garantem que as relações perdurem pois não penalizam uma das partes. Ninguém quer manter o relacionamento quando já sabe que irá perder ao lidar com tal pessoa. Trabalhe duro, sem perder a flexibilidade para construir bases saudáveis para seus relacionamentos.

Relações em redes profissionais de networking

9. Associações profissionais: para aqueles que desejam expandir ainda mais seus contatos, existem as redes de networking profissional, geralmente divididas por ramos de atuação ou apoio a uma causa. Busque em sua cidade as associações profissionais, como as câmaras de comércio; associações profissionais de classe; organizações e clubes de serviços, como Rotary e Lions Clubs; clubes de empreendedores; organizações de empresários (caso você seja um), como Business Network International (BNI) etc.

Decidindo se associar a uma destas redes, você terá acesso a uma estrutura que oferece desde novos conhecimentos até participar de iniciativas conjuntas e, por meio delas, terá a oportunidade de crescer como profissional ou empreendedor.

10. Dedique-se e saiba ser visto: é preciso se dedicar, “ser visto” e se oferecer para colaborar, caso contrário, não vale a pena o esforço. Encare como investimento no próprio desenvolvimento (como fazer um curso ou um treinamento) e não como mais uma tarefa em sua agenda apertada.

Na minha própria experiência como membro de uma destas organizações, comprovei que sendo bem participativa é possível aprender mais do que em anos dedicados a um curso superior. E a rede de relacionamentos se expande em proporções que você jamais teria acesso ao buscar sozinho e esporadicamente. Vale a pena, o crescimento é grande, basta se comprometer.

Foto: Unsplash

+ Quer entender melhor sua personalidade? Leia no seu Mapa Astral o significado da combinação do seu signo com o seu ascendente. 

+ O Mundo é o Arcano do Mês – Veja previsões coletivas do Tarot para fevereiro

+ Quer entender melhor sua vida amorosa? Comece conhecendo bem o seu Jeito de Amar.

+ Com que roupa eu vou? Veja dicas de como usar a Cromoterapia na sua fantasia de Carnaval.

Carla Panisset

Coach especialista em Aumento de Performance Profissional e transição de carreira. Diretora da Regional RJ na Net Profit Brasil para gerar resultados para as empresas. Treinadora, Comunicóloga e Relações Públicas. Já treinou mais de 1.000 líderes e profissionais brasileiros, tendo 25 anos de carreira. Facilitadora de Biodanza® Sistema Rolando Toro (em formação).

[email protected]

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo