MP vai investigar cinema em prisão no Rio de Janeiro

Após abertura de dois inquéritos, Estado diz que vai retirar equipamentos do presídio onde está Cabral. Ministro Gilmar Mendes, do STF, suspende transferência do ex-governador

Por Metro Jornal Rio de Janeiro
Filhos de Cabral visitaram o pai no sábado - Jose Lucena/Futura Press
MP vai investigar cinema em prisão no Rio de Janeiro

O Ministério Público Estadual abriu dois inquéritos, de improbidade administrativa e criminal, para investigar a instalação de uma sala de cinema na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na zona norte, que abriga os presos da Lava Jato no Rio, como o ex-governador Sérgio Cabral. Para o MP, o “presídio tem tratamento diferenciado e desproporcional se comparado com outras unidades prisionais do Estado do Rio”.

Pouco depois do anúncio da investigação pelo MP, a Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária) afirmou que vai retirar todo o material de vídeo da sala de cinema e informou que “infelizmente vai suspender qualquer tipo de doação feita por entidades religiosas para unidades prisionais.”

A medida foi tomada um dia após a Seap alegar que os equipamentos da sala – com uma televisão LED de 65 polegadas, DVD e 160 filmes variados – foram doados pela Igreja Batista do Méier. A igreja, porém, negou a informação.

A missionária da igreja que aparece no documento de doação dos equipamentos revelou à BandNews FM que foi procurada por um desconhecido que pediu para que ela apenas assinasse o papel. Clotilde de Moraes disse que ela e um pastor, identificado como Carlos Alberto de Assis Cerejo, foram procurados dentro do presídio por pessoas que informaram que a videoteca já havia sido comprada, mas que os equipamentos só entrariam lá se fossem por meio de uma doação.

Clotilde, no entanto, afirma não saber quem são essas pessoas nem que era para presos como Sérgio Cabral. Os equipamentos custaram cerca de R$ 8 mil e teriam sido comprados em dinheiro vivo, a pedido dos próprios presos da Lava Jato.

Transferência suspensa
O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes concedeu ontem habeas corpus e suspendeu a transferência do ex-governador para o presídio federal de Campo Grande (MS). Com a decisão, ele vai permanecer preso na cadeia em Benfica.

Gilmar afirmou que não há razão ou motivo para tirar Cabral do Rio. O pedido de transferência foi feito pelo juiz Marcelo Bretas, da 7a Vara Federal Criminal, após o ex-governador falar sobre negócios da família do magistrado em uma audiência.

Loading...
Revisa el siguiente artículo