Ação transforma alimentos em produtos desidratados e fáceis de consumir

Da vontade nasce uma ideia, mas quando ela é temperada pelo amor,  torna-se revolucionária… Neste caso, no mercado e na vida da criadora: a economista  Maíra Chagas, 28 anos. Para ficar mais perto da filha depois da maternidade, ela, apaixonada por alimentação saudável, mergulhou nos estudos para criar a empresa “Sequinhas” – indústria capixaba de frutas e raízes desidratadas. E ao lado do sócio Bruno Alessandro Lazzarini, 30, eles conquistaram clientes, além de um bem maior: tempo para criar, cuidar da família e da saúde. Uma revolução que tem como retorno o bem-estar.

Como surgiu a empresa?

A “Sequinhas” nasceu identificando a necessidade do mundo moderno: alimentos práticos para conseguir acompanhar a rotina que estamos vivendo hoje. Mas isso precisa vir acompanhado de saúde, bem-estar e alimentação saudável. Nesse aspecto, o mercado está com deficiência de encontrar alimentos que realmente são saudáveis e naturais, além de práticos.

O que fez vocês despertarem para esse segmento no ES?

Quando criamos a empresa, fomos pioneiros no Estado. Ainda não existiam a quantidade de empresas de alimentação saudável que temos hoje. A maioria das empresas de frutas e raízes desidratadas não possui uma identidade única e comunicação forte com o cliente. São produzidas por cooperativas. Percebemos esse deficit no mercado e resolvemos fazer o caminho completamente reverso. Criamos uma marca, uma comunicação forte com o cliente e uma identidade, além de alimentos com todo diferencial: sem adição de açúcar, sem conservantes e o mais natural possível. A maioria dos produtos que encontramos no mercado tem aditivados com xarope de glicose (açúcar), ou são fritos. Só que isso fica escondido em rótulos, e ninguém lê completamente a informação. Nós buscamos 100% de transparência com o cliente sempre.

O que esse trabalho representa para o segmento?

O trabalho que a “Sequinhas” vem desenvolvendo representa um avanço para o setor de alimentação, pois conseguimos mostrar que é possível desenvolver alimentos mais naturais sem a necessidade de inúmeros conservantes. Conseguimos avanços importantes em termos de desidratação, desmistificando a ideia de que fruta para desidratar precisa ter xarope de glicose para deixá-la mais doce, ou que batata palha precisa necessariamente ser frita para ser gostosa. Nós gostamos de explorar ao máximo as opções e testar linhas diferentes que o nosso ramo de negócio já segue normalmente.

Qual é o diferencial da empresa?

O grande diferencial da empresa é que todos os alimentos não possuem adição de conservantes e são desidratados ou assados. Temos por exemplo a única batata palha 100% saudável. A única que não é frita. Desenvolvemos produtos que podem ser consumidos por toda família, desde a criança ao idoso.

Deixe um recado para os empresários que acreditam no ES.

O Estado é fortíssimo e riquíssimo. Temos aqui um consumidor exigente, talvez o mais exigente do Brasil, isso nos auxilia a construir produtos de qualidade elevada. Temos uma agricultura ótima e forte, e bons produtores rurais que nos fornecem matéria-prima. Um Estado cheio de riquezas precisando do olhar atento dos empreendedores.

Ser empreendedor é…

…ter paixão. É um vício, uma mistura de sentimentos fortes e que precisam estar vivos todos os dias dentro de você. Não existe uma segunda opção, quando você decide ser empreendedor você não enxerga o lado pessimista, porque a única coisa que você quer e deseja é que algo dê certo.  Essa é uma busca constante. Errar, acertar e jamais perder o foco.

sequinhas.jpg

CURTAS

Mais gourmet. Uma nova opção de hambúrguer gourmet surge em Jardim Camburi, na Capital. E o melhor, com produtos  orgânicos e veganos.  A loja Terra Viva lançou esta semana um cardápio com deliciosos lanches naturais. Os ingredientes, bem selecionados, dão um toque especial aos pratos. Sem perder o sabor das opções tradicionais de fast food.

Cozinha tailandesa. A chef Anna Arreguy comanda amanhã o curso temático “Cozinha Tailandesa”, no Espaço Gourmet Cetrino, em Santa Lúcia, em Vitória. Ela vai ensinar alguns segredinhos da combinação de especiarias, sabores e aromas da rica cozinha tai, além de receitas para um jantar completo, com entrada, prato principal e sobremesa.

Economia de energia. Hotéis do Espírito Santo têm buscado alternativas para conter os gastos com energia elétrica. Com isso, as lâmpadas fluorescentes convencionais têm sido trocadas, inclusive nos quartos, pelas de LED, segundo o diretor de Marketing da Rede Bristol, Luiz Fantin. No país, aliás, a venda de lâmpadas desse tipo, aumentou em 100% de 2015 para 2016.

Finanças em dia. Economista e planejador financeiro, Renan Lima é o palestrante convidado do Instituto de Administração do Espírito Santo (IAES) para falar, gratuitamente, sobre a importância de equilíbrio na relação com o dinheiro. Será na terça-feira, dia 23, às 19 horas, no auditório do CRA-ES.

Refrigerante natural. Você já ouviu falar do kombucha? A bebida milenar que ganhou status de refrigerante natural e caiu no gosto dos adeptos da alimentação saudável é preparada a partir da fermentação de “bactérias do bem”, chás verde ou preto, água e açúcar. O resultado lembra um vinagre azedo com toque adocicado e levemente gaseificado. Segundo a nutricionista Gabriela Sampaio, trata-se de uma bebida de baixa caloria e extremamente probiótica.

Do bem. Diante de tantas notícias absurdas no país, uma boa atitude: o estudante de arquitetura e motorista da Uber André Loureiro, 24, devolveu  R$ 5 mil a uma passageira que esqueceu o envelope no seu carro.  “Em nenhum momento passou pela minha cabeça ficar com esse dinheiro”, disse André. Após acionar a empresa de transporte de passageiros e explicar o caso, a empresa entrou em contato com a passageira e pediu a ela que ligasse para o motorista. O valor foi devolvido na quinta-feira (18).