Sérgio Cabral pode sair do cargo de governador antes do previsto

Por Carolina Santos

 

Sérgio Cabral pode deixar o cargo | Agência Brasil Sérgio Cabral pode deixar o cargo | Agência Brasil

Em meio a pedidos de impeachment sendo analisados pelo Ministério Público e pela Assembléia Legislativa do Rio, o Governador Sérgio Cabral pode ser afastado do cargo antes do fim do mandato por decisão do próprio PMDB para não prejudicar o vice Luiz Fernando Pezão durante a corrida eleitoral do ano que vem.

Em nota, a direção regional do partido confirmou a negociação para que o político se desincompatibilize do cargo ao fim do prazo legal, que é 4 de abril de 2014, e não em dezembro. Com isso, o vice-governador assumiria o posto. Segundo o PMDB, a estratégia seria uma tentativa de fortalecer o nome de Pezão, que deve disputar o cargo com o senador Lindberg Farias, do PT; o ex-governador Anthony Garotinho, do PR; e o ex-prefeito do Rio César Maia, do DEM, em outubro do ano que vem.

Com o fim do recesso legislativo, a oposição na Alerj também se articula para pedir a saída do político do cargo. O deputado Geraldo Pudim deu entrada nesta quinta-feira no requerimento de impeachment de Sérgio Cabral. Marcelo Freixo, do PSOL, e Luiz Paulo, do PSDB, também já tinham feito o pedido. Não há previsão, no entanto, para análise da presidência da assembléia.

Pesquisa CNI/Ibope revela que a gestão de Cabral teve a pior avaliação desde o primeiro mandato do político, em 2008. O governador tem apenas 12% de aprovação, o menor entre as 11 capitais que concentram 90% do PIB brasileiro.

Loading...
Revisa el siguiente artículo