Pena de morte: turistas chilenos podem ser condenados à forca na Malásia

Por Victória Bravo

Dois estudantes de nacionalidade chilena identificados como Felipe Osiadacz e Fernando Candia estão presos em situações precárias em Kuala Lumpur, na Malásia. Os jovens esperam julgamento e podem ser condenados à pena de morte na forca.

Segundo o jornal La Tercera, eles viajam juntos e estão detidos há sete meses, mas o caso só foi divulgado agora para não atrapalhar um suposto acordo entre Chile e Malásia.

O Crime

Felipe e Fernando se envolveram na morte de uma pessoa. A defesa alega que o homicídio ocorreu por legítima defesa, uma vez que após serem agredidos os jovens imobilizaram um homem que acabou sofrendo um ataque do coração e foi a óbito no local.

Nas declarações oficiais emitidas pelos pais das vítimas, antes de agir ambos pediram ajuda a uma recepcionista para que ela chamasse a polícia, pois o homem que os intimidava e pedia dinheiro estava agressivo e sob o efeito de drogas.

O julgamento do caso deve começar no dia 29 de maio e no momento segue nas mãos das autoridades da Malásia e da Direção Consular do Ministério de Relações Exteriores.

As leis e penalidades aplicadas no país, particularmente rigorosa por razões culturais e religiosas, podem punir crimes como homicídio e tráfico de drogas com o enforcamento.

Embora tenha sido abolida em muitas outras nações no mundo, alguns países asiáticos ainda mantém esse tipo de penalidade nas suas legislações. Em 2015, na Indonésia, dois brasileiros foram executados por tráfico de drogas, ambos fuzilados.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo