A saída de Kate Middleton do hospital 7 horas após dar a luz e a polêmica sobre o parto no Brasil

Por Band News FM

O nascimento de mais um bebê na Família Real britânica volta a levantar a discussão sobre o parto normal no Brasil.

Nas redes sociais, as pessoas têm se questionado sobre a rapidez com que Kate Middleton deixou o hospital depois de dar à luz: foram sete horas entre o parto normal e a saída da maternidade.

No Reino Unido, a legislação prevê que as mulheres podem receber alta seis horas depois do nascimento do bebê quando não há complicações no parto.

 Já no Brasil, uma portaria do Ministério da Saúde estipula o prazo mínimo de 24 horas para parto normal e, em caso de cesárea, esse tempo sobe para 48 horas.

A médica Maria Helena Bastos fez doutorado em parteria na Ingletarra e diz que o tratamento dado à princesa Kate Middleton é o mesmo oferecido às outras grávidas em todo o sistema de saúde do país, incluindo a rede pública.

Para ela, "o que a Kate teve de diferencial mais importante [na comparação com o Brasil] é que quem comanda, cuida e acolhe a mulher no momento da gravidez, no parto e no pós-parto é a presença de uma parteira profissional".

Essa é uma maneira de observar a evolução clínica da mãe e do bebê sem a necessidade de estar em um hospital, mas que, às vezes, não é possível.

Por isso, cada caso é um caso, na opinião da médica da Clínica de Obstetricia do Hospital das Clínicas de São Paulo, Maria Rita Bortolotto.

Segundo ela, não se pode descartar a situação de uma mãe que, ao voltar para casa, pode ter de cuidar de outras crianças, além de realizar tarefas domésticas, o que indica a necessidade de um repouso prolongado.

Apesar de o SUS dar prioridade ao parto normal, o Brasil é o segundo país na lista de cesáreas no mundo, atrás apenas da República Dominicana.

55,6% de todos os nascimentos são feitos por meio de cirurgia, segundo a Organização Mundial da Saúde, quando o recomendado pela entidade é de 25 a 30%.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo