Revenge Porn: mulher que processou seu ex-namorado foi indenizada com 6 milhões de dólares

Por Victória Bravo

Um dos casos mais importantes de “revenge porn” ou “pornô de vingança” finalmente foi julgado na Califórnia. O tribunal responsável acaba de indenizar em US $ 6,4 milhões uma mulher vítima da filtragem de gravações sexuais sem consentimento.

Tudo começou em 2013, quando ela, que teve a identidade protegida e foi chamada de “Jane Doe” nos documentos do tribunal, terminou o namoro com David K. Elam II. Para se vingar, ele divulgou diversas fotos e vídeos sexuais dela em sites de pornografia.

Segundo o The New York Times, o homem a ameaçou dizendo que tornaria sua vida "tão miserável que ela iria querer se matar". A vítima o processou, mas o material continuou se espelhando pela Internet.

Em 2015, os advogados que representavam Elam saíram do caso, e levou quase três anos para que a corte na Califórnia desse seu veredito. Felizmente para a vítima, no último dia 4 de abril a Justiça decidiu a seu favor.

Elisa D'Amico, advogada especializada em privacidade e crimes online, que trabalhou no caso, disse que “a lei nesta área é imperfeita e está atrasada em relação à tecnologia”.

Outro ponto importante ressaltado pela especialista é que “as pessoas geralmente culpam as vítimas, mas quando as imagens são compartilhadas dentro dos limites de um relacionamento privado, é reconhecido que existe o direito à privacidade”.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo