Baixou uma cópia dos dados que o Facebook guardava sobre ele e se surpreendeu com o que encontrou

Por Victória Bravo

Brian Chen é um colunista que escreve sobre tecnologia para o jornal estadunidense “The New York Times”. Após os vazamentos de dados do Facebook, ele decidiu baixar uma cópia dos dados que a rede social guardava sobre seu perfil.

Ele não faz muitas publicações ou acessa sempre conteúdos da plataforma e, justamente por isso não esperava encontrar nada fora do comum. Contudo, percebeu que estava muito enganado.

Segundo o Infobae, Chen descobriu que cerca de 500 anunciantes tinham sua informação de contato, incluindo e-mail, telefone e nome completo. Ele nunca tinha ouvido falar na grande maioria das empresas que continham seus dados.

O jornalista também conferiu que o Facebook sabia até o número do seu apartamento, além de um registro detalhado das 100 pessoas que ele tinha eliminado da sua lista de amigos nos últimos 14 anos.

As informações acumulavam cerca de 650 megabytes, aproximadamente 160 horas de informação sobre sua vida privada.

Uma das sessões que mais assustou Chen foi a “Contact Info”, onde encontrou 764 números e telefones de todos os contatos do seu celular, informação conseguida pelo aplicativo “Messenger” da plataforma.

Chen achou desnecessário toda essa informação guardada e descobriu que o Facebook possui uma memória infinita. É como se ele seguisse todos os seus passos desde o momento em que a conta foi criada.

Beth Gautier, porta-voz da empresa explicou que “quando alguém deleta algo, a rede social elimina para que ninguém possa ver ou acessar”, mas o Facebook continua tendo acesso ao conteúdo. Segundo ela, eliminar todas as informações do sistema poderia demorar até 90 dias.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo