Flórida aprova projeto de lei que restringe vendas de armas

Por Ansa

Em resposta ao massacre do último dia 14 de fevereiro em uma escola de Parkland, que deixou 17 pessoas mortas, os legisladores da Flórida aprovaram nesta quarta-feira (7) um projeto de lei que visa restringir a compra de armas na cidade norte-americana.

Entre as principais medidas adotadas no projeto estão a autorização para que funcionários de escolas portem armas e o aumento da idade mínima para comprar um rifle (dos 18 para 21 anos de idade).

Leia mais:
Senado da Flórida rejeita proibição de armas de assalto e vota para armar professores
Escola na Florida alvo de massacre reabre parcialmente

A iniciativa foi aprovada na Câmara com 67 votos a favor e 50 contra. A partir de agora ficará sob as mãos do governador da Flórida, Rick Scott, que dará a palavra final se aprovará ou vetará a medida.

"Quando um projeto de lei chegar à minha mesa, farei o que não parecem estar fazendo em Washington. Vou revisá-lo linha por linha", disse Scott, que também afirmou que irá consultar as famílias de Parkland para tomar a decisão definitiva sobre o projeto de lei.

Recentemente, o governador da Flórida anunciou que irá investir US$ 500 milhões para reforçar a segurança nas escolas do estado norte-americano. Scott é também contrário a ideia do presidente do país, Donald Trump, de armar os professores, e optou pela ideia de colocar nos colégios um agente policial para cada mil alunos.

No último dia 14 de fevereiro, Nikola Cruz, de 19 anos, entrou armado com um fuzil na instituição e matou 17 pessoas, entre alunos e professores. O atirador foi preso horas depois de ter cometido o massacre.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo