Pais descobrem que bebê dado como morto no hospital estava vivo em orfanato

Por Metro Internacional

Um erro administrativo separou um filho dos pais por sete anos, obrigando a criança a viver em um orfanato.

Tudo começou em 2011, quando uma mãe e um pai que moram em Volgograd, na Rússia, foram informados pelo hospital que seu filho não viveria mais de uma semana após o nascimento.

Foi então que ambos assinaram um documento deixando o recém-nascido aos cuidados do hospital. Mais tarde, eles mudaram de ideia, mas quando voltaram para buscar o filho, foram informados de que o bebê havia morrido.

Contudo, em 2017, eles receberam uma cobrança de um orfanato que correspondia à despesa pelos cuidados do seu filho. Como os cobradores não encontraram o casal, a conta da mãe foi congelada.

No dia seguinte, a mulher foi à recepção da administração pública de Volgograd para descobrir por que ela não podia sacar seu dinheiro. Quando os oficiais lhe mostraram os documentos do orfanato, ela desmaiou.

Um porta-voz do departamento do xerife disse: "Ficou claro que o casal tinha certeza de que a criança estava morta".

Segundo o Metro Reino Unido, assim que souberam que seu filho estava vivo, os pais apelaram imediatamente para o tribunal pedindo a restauração dos seus direitos sobre o menor.

Em novembro de 2017 a justiça deu um veredito positivo para o casal e a criança se encontrou legalmente com seus pais este ano.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo