Masturbação 'extrema' mata cerca de 100 alemães por ano

Por Metro Internacional

As práticas de risco na hora da masturbação matam entre 80 e 100 alemães por ano, adverte um legista do estado de Brandeburgo para evidenciar esse tipo de acidente imprevisível e, muitas vezes, não revelado.

O Dr. Harald Voss diz que uma entre duas pessoas por milhão de moradores morrem durante a masturbação por usar técnicas perigosas para aumentar a satisfação durante o orgasmo.

A asfixia é considerada a causa mais frequente de masturbação letal, bem como o eletrochoque, embora seja difícil obter estatísticas precisas desse tipo de morte, explica Voss.

Famílias que descobrem seus entes queridos em posições comprometedoras como resultado dessas práticas muitas vezes eliminam a evidência para evitar constrangimentos para a vítima.

"O número de casos não declarados é extremamente alto, então é um caso raro em medicina forense", comentou Voss ao site Bild. Ele ainda confessou que pessoalmente viu apenas cinco casos desse tipo ao longo de sua carreira de 30 anos.

Além disso, se a polícia perceber que a causa da morte é claramente acidental – a vítima está nua na presença de materiais pornográficos sem deixar uma carta de despedida – o corpo não é enviado para uma autópsia.

Os riscos associados à auto-asfixia são muitas vezes subestimados, mas não deveriam: "Se você pressionar ambas as artérias carótidas, por exemplo, levará 30 segundos para a morte no máximo", disse Voss.

O médico de 59 anos aponta que as masturbações arriscadas são praticadas por pessoas de todas as idades, contudo existem detalhes de que a maioria das vítimas são homens, uma vez que as mulheres tendem a ser "mais cautelosas" com os jogos eróticos.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo